Iniciativas ajudam no controle do sistema

O chamado Trem Útil monitora, também, o programa em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Aracaju, a pedido de ciclistas das cidades

iG Minas Gerais | Luiza Muzzi |

Preocupados com o desempenho do Bike BH e com o desejo de contribuir para melhorias, alguns usuários criam, por conta própria, iniciativas de monitoramento do sistema. É o caso do mestre em ciência da computação Fernando Duarte, 33. Ele elaborou uma ferramenta que acessa, a cada 15 minutos, o site do programa, para coletar informações e avaliar a prestação do serviço, como a disponibilidade de estações e bicicletas.

“Sabia que havia problemas de instabilidade do sistema e tive a ideia de fazer uma estatística, a partir dos dados que eles mesmos informam”, disse Duarte.

O chamado Trem Útil monitora, também, o programa em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Aracaju, a pedido de ciclistas das cidades. “Mesmo com um número menor de estações, Belo Horizonte tem os maiores problemas. As estatísticas mostram que é preciso melhorar”, avaliou.

Já a empresária Caroline de Paula, 30, criou um perfil no Twitter para compartilhar o estado das bikes e estações. “Fiz o Twitter para ser um adendo do que não tem no aplicativo, como a possibilidade de notificar o estado da bike que você utilizou, pela hashtag ‘bikeBHagora’”, explicou Caroline.

Melhorias

Avanço. Segundo a Serttel, a troca do sinal para 4G, em dezembro, reduziu a oscilação do sistema e melhorou a sincronização de informações. A empresa ainda estuda melhorias no aplicativo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave