Mesma oferta de 14 anos atrás

Apesar de aumento de 8,7% no número de passageiros, frota deve seguir com 300 ônibus

iG Minas Gerais | Luciene Câmara |

Panorama. 
Belo Horizonte tem hoje 24 linhas e 282 ônibus suplementares
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Panorama. Belo Horizonte tem hoje 24 linhas e 282 ônibus suplementares

Em 14 anos de concessão, o transporte suplementar da capital – ônibus menores e amarelos que circulam nos bairros – só encolheu. Das centenas de perueiros que atuavam informalmente na década de 1990, 300 foram classificados em licitação realizada em 2001 e 282 circulam atualmente. Com a permissão dos motoristas para vencer em agosto, a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) propôs nesta sexta, em audiência pública, a abertura de um novo edital de contratação, que, pelos moldes apresentados, manteria por mais 13 anos a mesma estrutura montada nos primeiros anos de prestação do serviço.

Pelo projeto da autarquia, 300 motoristas serão contratados para dar continuidade ao transporte – cada um tem direito a explorar um ônibus de acordo com as especificidades técnicas da BHTrans. Já o número de linhas passaria de 24 para 25, com a exclusão da S10 e S80 e a criação de três novas linhas: S11, S58 e S92 (veja no quadro abaixo). A proposta, segundo motoristas e usuários, não acompanha a demanda. Em 2009, 2,3 milhões de passageiros usavam o sistema por mês. Atualmente, são 2,5 milhões mensalmente, um aumento de 8,7%.

Estudo feito pelo Sindicato dos Permissionários Autônomos do Transporte Suplementar e Alternativo de Passageiros dos Municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Sindpautras), em 2012, apontou a necessidade de ao menos 455 ônibus amarelinhos em Belo Horizonte e mais 14 linhas, em um total de 38 – atualmente são 282 ônibus e 24 linhas. “O estudo mostrou que temos ainda muitos espaços para operar, lugares onde o suplementar não chega atualmente”, afirmou o diretor-presidente do Sindpautras, Maurício dos Reis.

Segundo ele, o transporte suplementar ainda atende pouco as regiões Leste, Oeste e Centro-Sul (fora do perímetro da avenida do Contorno, onde os amarelinhos não podem circular). O secretario geral da Associação de Usuários do Transporte Coletivo da Grande BH (AUTC), Francisco de Assis Maciel, disse que a linha S10 (BH Shopping/ São Francisco) é uma das mais cheias e que precisa de reforço. “O transporte suplementar não pode mais ser tratado como um sistema marginal. Ele tem que cumprir o seu papel, que é suplementar o transporte convencional”, ressaltou Maciel.

Justificativa. A BHTrans, por sua vez, informou que pretender manter o número de 300 ônibus para garantir o equilíbrio financeiro do serviço. “Foi feito estudo técnico que apontou a necessidade de veículos. Tem linha que terá dois ônibus a mais, outras três a menos. Agora, se a frota total aumentar, a remuneração dos permissionários será menor. Trezentos é a capacidade para manter o equilíbrio financeiro do serviço”, justificou o diretor de transporte público da BHTrans, Daniel Marx Couto.

Diante das propostas de aumento da frota, Couto ressaltou que todas as sugestões serão analisadas para a finalização do edital.

Publicação

Prazo. A BHTrans informou que tem no mínimo 15 dias após a audiência pública desta sexta para publicar o edital. Em 1° de setembro de 2015, os novos contratados devem iniciar a operação.

Saiba mais Cadastro. Em caso de desistência ou afastamento de permissionários, a proposta é que haja um cadastro com 30 excedentes, que poderão ser chamados. Move. Pela proposta da BHTrans, os suplementares continuarão sem integração física com estações do Move. Seleção. O sindicato dos permissionários defende que os atuais prestadores de serviço e auxiliares, que já têm experiência no sistema suplementar, sejam mantidos na atividade.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave