Não é a vovozinha

iG Minas Gerais | Natália D'Ornellas |

A belo-horizontina Lea T. está entre as 12 mulheres que mudaram a moda italiana.
Redken/Divulgação
A belo-horizontina Lea T. está entre as 12 mulheres que mudaram a moda italiana.

Senhoras estilosas não são apenas uma boa estratégia de marketing das marcas internacionais para mostrar o quanto o fashion é generoso, inclusivo e tal. Elas são realidade, ao menos, virtual. Basta dar um giro pelo Instagram (ele, sempre ele!) para constatar que a uma onda “cabeça de prata” invadiu as redes. Além do @advancedstyle, que procura personagens pelas ruas das capitais da moda, há perfis pessoais como os de Dorrie, Judith e Samara. Dorrie Jacobson, de 79 anos, comanda o @seniorstylebible, “um guia de estilo para mulheres maduras, elegantes e que sabem que a idade é um estado de espírito”, segundo a própria. Judith, simpática adoradora de chapéus e acessórios de cabeça, tem 71 e está por trás do @stylecrone, a última, e minha predileta, que trabalha com joias antigas e faz a linha modelo da própria marca. #adorable

Grande Lea

Entre as divas - A belo-horizontina Lea T. (sim ela nasceu aqui) está entre as 12 mulheres que mudaram a moda italiana. A filha de Toninho Cerezo ficou conhecida internacionalmente depois de virar a musa de Riccardo Tisci, da Givenchy, e ser a primeira transgênero a estrelar uma campanha para uma grande grife. Ela divide o ranking com Carla e Franca Sozani,Miuccia Prada, Anna Dello Russo, Eva Cavalli, Silvia Venturini Fendi e outras mulheres poderosas. 

Deu no Style.com

Eu já sabia - Luiz Cláudio, da Apartamento 03, teve seu trabalho destacado no Style.com, a bíblia on-line de quem ama moda. Na matéria, o site destacou a maturidade das peças da marca e o seu bom acabamento. As torcidas do Galo, do Cruzeiro e do América já sabiam. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave