Aumento número de casas com focos de Dengue em BH

Levantamento de janeiro de 2015 aponta 84% dos domicílios contra 80% de janeiro de 2014

iG Minas Gerais | Da Redação |

Subiu de 80% para 84% o índice de casas com focos do mosquito transmissor da Dengue e da Febre Chikungunya em Belo Horizonte. Em 2015, até o momento, 39 casos de dengue foram confirmados na capital, a maioria nas regiões do Barreiro e Oeste.

De acordo com a a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), o aumento no percentual (de 80% para 84%) no Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) de janeiro de 2015 foi em comparação a janeiro de 2014. Ao todo, 47.078 imóveis da capital foram visitados.

Já o levantamento de focos do mosquito apresentou índice de 1.1%, que demonstra que em pouco mais de 1 em cada 100 imóveis possui focos do Aedes aegypti.  Este é o menor índice registrado nos levantamentos de janeiro, desde que o LIRAa começou a ser realizado.

De acordo com a padronização do Ministério da Saúde, o índice de infestação larvária, considerado de baixo risco para a ocorrência de epidemia, é de até 1%. O LIRAa realizado em janeiro do ano passado apontou um índice de 2,1%.

O objetivo do LIRAa é identificar as áreas da cidade com maior proporção/ocorrência de focos do mosquito e os criadouros predominantes. Essas informações possibilitam intensificar as ações nos locais com maior presença do mosquito Aedes aegypti.

A SMSA executa durante todo o ano ações de prevenção e controle da dengue: assistência aos pacientes, combate ao vetor, mutirões de limpeza e comunicação/mobilização social. O objetivo é prevenir a proliferação dos focos do Aedes aegypti; conscientizar a população sobre a importância da participação de todos no combate à dengue; reduzir o número de cidadãos com a doença, garantir a assistência médica aos pacientes e evitar óbitos.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave