Ataque talibã contra mesquita xiita deixa 20 mortos no Paquistão

Segundo a polícia, três homens com cinturões de explosivos e armas entraram na mesquita Imamia da minoria xiita cortando a cerca de arame farpado e a atacaram com granadas

iG Minas Gerais | AFP |

Grupo ligado a Al-Qaeda realiza ataque a mesquita e mata 20 pessoas
A Majeed / AFP
Grupo ligado a Al-Qaeda realiza ataque a mesquita e mata 20 pessoas

Um comando talibã matou 20 pessoas e feriu outras 45 em um ataque nesta sexta-feira contra uma mesquita xiita de Peshawar (noroeste do Paquistão) durante a oração semanal, em um novo ataque contra esta minoria religiosa no país.

Segundo a polícia, três homens com cinturões de explosivos e armas entraram na mesquita Imamia da minoria xiita cortando a cerca de arame farpado e a atacaram com granadas.

"Um suicida detonou os explosivos que carregava na entrada da mesquita, outro foi abatido pela polícia e o terceiro capturado antes de ser abatido", declarou à AFP Nasir Durrani, inspetor-geral da polícia provincial.

O ataque acabou com a vida de 20 civis e feriu outros 45, oito dos quais encontram-se em estado grave, segundo o último balanço das autoridades e de um hospital próximo.

O ataque foi reivindicado pelo Movimento dos Talibãs do Paquistão (TTP), aliado da Al-Qaeda e principal grupo rebelde no país. Afirmou que era em vingança pela morte do doutor Usman, um combatente talibã condenado à morte por ter atacado o exército em 2009 e enforcado em dezembro por ordem das autoridades.

"Sangue por sangue, seguiremos vingando-os duramente", acrescentou o porta-voz do TTP, Muhamad Khurasani, em um comunicado publicado após o ataque a esta mesquita situada perto de vários edifícios governamentais.

Em declarações à rede de televisão local Geo TV, Mushtag Ghani, ministro de Informação da província de Khiber Pajtunkhwa, cuja capital é Peshawar, considera o ataque uma reação às ofensivas militares lançadas nos últimos meses contra os rebeldes na região.

Pouco depois do início do ataque era possível observar uma espessa coluna de fumaça e as pessoas fugiam carregando feridos nas costas.

O ataque durou aproximadamente uma hora, informou a polícia, que se apressou em neutralizar as granadas e explosivos que não haviam explodido e a inspecionar os arredores.

Peshawar costuma ser alvo de atentados, devido, sobretudo, a sua proximidade com as zonas tribais fronteiriças com o Afeganistão, principais refúgios dos rebeldes talibãs que lutam contra o governo de Islamabad.

O ataque ocorre duas semanas depois que 61 pessoas perderam a vida em Shikarpur (sul), em um atentado contra uma mesquita xiita, minoria religiosa que costuma ser alvo de extremistas sunitas próximos aos talibãs e à Al-Qaeda.

O atentado de Shikarpur foi reivindicado pelo Khundula, um grupo próximo aos talibãs.

Os xiitas representam cerca de 20% da população em um país de 200 milhões de habitantes e de maioria sunita.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave