Feijão exalta torcida e diz ser 'franco atirador' contra argentino

Tenista brasileiro disse que presença de torcedores fez diferença em sua última vitória

iG Minas Gerais | Folhapress |

Feijão derrotou Carreño com parciais de 6/2 e 7/6 (8-6 no tiebreak)
Facebook Brasil Open
Feijão derrotou Carreño com parciais de 6/2 e 7/6 (8-6 no tiebreak)

O paulista João Souza, o Feijão, disse que o apoio que recebeu da torcida no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, foi fundamental para a vitória de virada sobre o eslovaco Martin Klizan, já na madrugada desta sexta-feira (13).

Feijão perdeu o primeiro set por 6/3, mas conseguiu virar a partida com um 6/3 no segundo set e um 6/2 no terceiro sobre o algoz de Thomaz Bellucci.

"O apoio da torcida foi a chave. Quando passei à frente no 3/1 do segundo set comecei a me soltar, a chamar a galera, e eles corresponderam. Sabia que tinha que focar nas minhas coisas e deixar a galera ser o segundo jogador em campo", disse Feijão.

Nas quartas de final, o brasileiro, que ocupa a 110ª posição no ranking da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais), vai encarar o argentino Leonardo Mayer, 30º do mundo. A partida acontece nesta sexta, na quadra central do ginásio do Ibirapuera, não antes das 17h.

"Entro como franco atirador. Ele é 30 do mundo, cabeça de chave aqui, o conheço muito bem. Espero jogar bem de novo e tenho certeza que mais pessoas vão vir para me apoiar", afirmou.

Leia tudo sobre: feijãotorcidaaberto do brasilbrasil open