Festa vai ser filmada do alto

Mil militares a mais que os habituais vão fazer policiamento preventivo nas ruas da capital

iG Minas Gerais | bernardo miranda |

Estratégia. 
Aeronave vai monitorar rodovias, aeroportos, estações do metrô e pontos onde haverá grande aglomeração de pessoas
LEO FONTES / O TEMPO
Estratégia. Aeronave vai monitorar rodovias, aeroportos, estações do metrô e pontos onde haverá grande aglomeração de pessoas

Durante o Carnaval, o policiamento em Belo Horizonte vai contar com imagens aéreas, que serão realizadas pelo helicóptero da Polícia Militar (PM), além do monitoramento de 130 câmeras. A atuação será nos moldes da realizada na Copa do Mundo de 2014, com o acompanhamento, no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) – no bairro Gameleira, na região Oeste da capital – por diversos órgãos de segurança e de trânsito.  

O helicóptero da PM será utilizado para monitorar rodovias, aeroportos, estações do metrô e pontos onde haverá grande aglomeração de pessoas em função dos blocos, como as praças da Savassi, da Estação, Floriano Peixoto, no bairro Santa Efigênia, e Duque de Caxias, no Santa Tereza. As imagens serão acompanhadas por policiais que estiverem impossibilitados de ir para as ruas por motivos de saúde, principalmente. A estratégia foi divulgada nesta quinta, em entrevista coletiva da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds).

Ao todo, 6.000 policiais militares estarão nas ruas da capital fazendo o policiamento preventivo, mil a mais que o destacado para o patrulhamento em dias normais. Para dar maior visibilidade aos policiais, os agentes irão utilizar capacetes brancos, para que possam ser reconhecidos em meio à multidão que acompanha os blocos.

“Vamos contar com o apoio da Comando de Policiamento Especializado, que poderá atuar para controlar possíveis arrastões e brigas generalizadas”, afirmou o coronel Cícero Cunha, chefe do Comando de Policiamento da Capital. Ele destaca que a corporação não será pega de surpresa com blocos que superem a estimativa de público. “Contamos com uma tropa móvel, que pode ser remanejada a qualquer momento, se necessário. Sabemos que alguns blocos podem receber 30 mil foliões e estamos preparados”, disse.

A Polícia Civil informou que também vai contar com reforço. Cerca de mil agentes vão atuar nas três delegacias de plantão em Belo Horizonte.

Pesquisa vai mostrar perfil de folião na capital Pela primeira vez, uma pesquisa será feita para saber o perfil das pessoas que decidem passar o Carnaval em Belo Horizonte, que neste ano deve receber 1,5 milhão de foliões. A iniciativa – da Secretaria de Estado de Turismo e Esportes, com apoio da Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur) – vai usar questionários para analisar o nível socioeconômico do folião, se ele é turista ou morador e se ele está satisfeito com o evento. “Os resultados servirão de base para analisar o impacto do Carnaval na cidade e possíveis melhorias para a organização de 2016. A pesquisa vai nos auxiliar na elaboração de estratégias mais efetivas para que a população valorize a festa e para que o Carnaval de Belo Horizonte seja consolidado como produto turístico”, disse o secretário de Estado de Turismo e Esportes, Geraldo Pimenta. Metodologia. A pesquisa será realizada entre neste sábado e a próxima terça-feira, com o público dos blocos de rua. A expectativa é que sejam aplicados 1.120 questionários. O resultado do levantamento será divulgado no site www.minasgerais.com.br/observatorioturismomg, criado para monitorar o desenvolvimento do turismo no Estado por meio da realização de pesquisas e da elaboração de indicadores. A margem de erro será de três pontos percentuais.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave