Inadimplência aumenta 6,2% na cidade em janeiro

Cenário deve permanecer até o meio do ano

iG Minas Gerais | José Augusto Alves |

Alta de inadimplência e momento da economia do país resultaram em menos vendas no Natal
Alex Douglas/Divulgação
Alta de inadimplência e momento da economia do país resultaram em menos vendas no Natal

O número de pessoas que não conseguiram quitar suas dívidas em janeiro deste ano cresceu 6,2% na cidade em comparação com o mesmo mês de 2014. Os dados são da Câmara dos Dirigente Lojistas (CDL) de Betim. 

Isso significa que há mais pessoas inadimplentes. Segundo o presidente da CDL Betim, José Barboza, uma série de fatores contribuiu para as famílias ficarem mais tempo no vermelho. “Houve aumento nos preços dos alimentos, da gasolina, do material escolar, entre outros, e as famílias tiveram mais dificuldades em negociar os débitos. Além disso, em início de ano, há outras despesas, como IPVA, IPTU, matrícula e material escolar, que acabam pesando mais no orçamento”, disse.

Ainda de acordo com ele, esse cenário deverá se manter até o meio do ano. “É sempre assim. As pessoas iniciam o ano endividadas e só a partir de junho é que começam a quitar as dívidas”, completou.

O reflexo do momento econômico pelo qual o país passa também ficou evidente no período de Natal no comércio betinense. “O comércio de rua vendeu um pouco menos no Natal de 2014. Acredito que as pessoas ficaram mais receosas em fazer as compras devido ao momento da nossa economia, com crédito mais difícil e caro e juros mais altos”, disse. “Claro que houve setores que saíram melhor, como o de supermercados e o de serviços, mas, para o comércio, o crescimento foi pequeno”, completou.

País Balanço divulgado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) apontou que o número de consumidores com débitos em atraso cresceu 3,12% em janeiro deste ano em todo o país em comparação com igual mês do ano passado, alta de 0,15% com relação a dezembro.

Atualmente, existem aproximadamente 54,6 milhões de consumidores inscritos em serviços de proteção ao crédito no país. Com relação a dezembro, a alta foi de 0,15%. A maior parte dos devedores em atraso em janeiro de 2015 (26,87%), eram pessoas com idades de 30 a 39 anos. Em segundo lugar, ficaram os devedores entre 40 e 49 anos, que representaram 19,38% do total em janeiro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave