Prefeitura quer interdição de lagoa

Objetivo da decisão, que deverá contar com o apoio da PM, é contribuir com a preservação dos recursos hídricos

iG Minas Gerais | Dayse Resende |

Perigo. 
Baixo nível de água também ameaça a vida de banhistas
Alex Douglas / O Tempo
Perigo. Baixo nível de água também ameaça a vida de banhistas

 

A Prefeitura de Betim informou, em comunicado encaminhado à imprensa na tarde de quarta-feira (11), que irá interditar a lagoa Várzea das Flores, dentro dos limites territoriais da cidade, para banho, esportes náuticos e lazer no período de Carnaval. O objetivo da decisão, que deverá contar com o apoio da Polícia Militar, é contribuir com a preservação dos recursos hídricos e zelar pela segurança de moradores e turistas.    Para isso, a prefeitura vai realizar, nesta sexta-feira (13), às 9h, uma ação especial no entorno da represa para comunicar à população a interdição do local. A iniciativa, que busca orientar os cidadãos sobre os riscos e os perigos do uso da lagoa em níveis críticos de volume de água, contará com a instalação de faixas e placas em pontos estratégicos da região, além de distribuição de panfletos educativos. “Nossa expectativa é firmar mais uma parceria com a Polícia Militar, como já ocorreu em outros momentos na cidade, para que possamos cumprir com nosso objetivo”, informou o secretário municipal de Segurança Pública, Luis Flávio Sapori.   Já a prefeitura de Contagem informou que cabe à Copasa a decisão sobre a proibição ou não do uso da lagoa, pelo fato de a empresa ser proprietária do espelho d’água e do entorno, mas que, no entanto, representantes do município, por meio da Defesa Civil e da Guarda Municipal, estarão no local durante todos os dias do Carnaval, atuando de forma preventiva e orientando os banhistas sobre os riscos de afogamento e acidentes. “A Prefeitura de Contagem não realiza Carnaval na Várzea das Flores. O que ocorre é uma procura espontânea da população ao balneário como opção de lazer”, completou.    Ofício Na terça-feira (10), a Copasa já havia pedido que as prefeituras de Betim e Contagem restringissem o acesso de pessoas ao lago no período das festividades, evitando, assim, o comprometimento da qualidade da água do reservatório, que está com apenas 30,6% de sua capacidade, mesmo após as chuvas dos últimos dias. Além dos prefeitos Carlin Moura e Carlaile Pedrosa, a Copasa também enviou a recomendação para promotores das comarcas das duas cidades e da comarca de Belo Horizonte. Na semana passada, a companhia já havia se manifestado quanto à necessidade de controle da entrada de banhistas durante o Carnaval.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave