Após protestos e invasão, governo do Paraná desiste de pacote fiscal

Os parlamentares da base de Richa só entraram na Assembleia escoltados, vindos num ônibus do batalhão de choque

iG Minas Gerais | Folhapress |

Presidente viaja ao exterior e adia sua participação em atividades eleitorais
Osamu Honda/P Photo
Presidente viaja ao exterior e adia sua participação em atividades eleitorais

Após nova invasão da Assembleia e confrontos da PM com manifestantes, o governo Beto Richa (PSDB) desistiu provisoriamente do pacote de corte de gastos que estava sendo votado por deputados.

Em mensagem enviada à Casa, após o encerramento da sessão devido ao cerco do prédio por milhares de manifestantes, a Casa Civil anunciou a retirada "para reexame" dos projetos "em virtude das manifestações" e "para garantir a integridade física dos parlamentares".

O anúncio logo repercutiu entre os manifestantes. "Vitória", gritavam eles, seguido de "É só o começo".

Por volta das 15h, servidores e professores públicos que protestavam contra o pacote haviam rompido o cordão de isolamento da PM e cercado o prédio onde estavam os deputados.

Houve confronto com a polícia. Bombas de gás, spray de pimenta e tiros de borracha foram usados para tentar dispersar a multidão, que continuou avançando. Depois de alguns minutos, os policiais desistiram do bloqueio e se limitaram a cercar o prédio onde acontecia a votação das medidas.

Os parlamentares da base de Richa só entraram na Assembleia escoltados, vindos num ônibus do batalhão de choque. A entrada foi feita pelos fundos do local, numa fenda aberta a alicate pela polícia no portão.

Após a leitura do comunicado sobre a desistência do governo, os manifestantes começaram a se retirar do pátio da Assembleia, ao redor do prédio. Às 16h, os deputados ainda não haviam saído do prédio.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave