Preservação de 70% da área é prevista

Homero Brasil Filho representa a Fundação Zoo-Botânica no Comam e foi relator-presidente durante a votação

iG Minas Gerais | Johnatan Castro |

A votação de concessão da licença prévia para o empreendimento na mata do Planalto teve oito votos favoráveis e uma abstenção. Apesar do Comam ser formado por 15 conselheiros, a plenária ficou dentro do quórum legal. De acordo com a assessoria da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, o projeto deverá preservar 70% da área, criando um parque público e um privado.

Homero Brasil Filho representa a Fundação Zoo-Botânica no Comam e foi relator-presidente durante a votação. Ele afirma que a empresa responsável cumpriu todas as exigências para receber a licença prévia. “O empreendedor cumpriu muito mais que exige a lei. Do ponto de vista ambiental, o projeto é fenomenal. O cidadão pode não querer, mas prefeitura tem que cumprir a legislação”, argumentou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave