90 mil ingressos vendidos

“Cinquenta Tons de Cinza” deve repetir sucesso da trilogia literária que vendeu mais de 100 milhões de exemplares

iG Minas Gerais |

Best seller. Fidelidade ao livro da autora E. L. James deve garantir o sucesso da adaptação dirigida pela inglesa Sam Taylor-Johnson
Universal / Divulgação
Best seller. Fidelidade ao livro da autora E. L. James deve garantir o sucesso da adaptação dirigida pela inglesa Sam Taylor-Johnson

São Paulo. Sucesso mundial, a trilogia literária “Cinquenta Tons de Cinza”, escrita por E. L. James, já vendeu 5 milhões de cópias só no Brasil. Em todo o mundo, o fenômeno soma mais de 100 milhões de livros vendidos. O filme, no geral, é bem fiel às cenas descritas pela autora. E deve agradar aos milhares de fãs que já compraram ingressos antecipados para a estreia. 

Só na rede UCI foram mais de 40 mil entradas em todo o Brasil, sendo 8.000 para São Paulo, em sessões realizadas hoje. O Kinoplex, para todo o fim de semana, vendeu mais de 50 mil ingressos no país.

Livro. A história que se desenrola nas telas do cinema, em “Cinquenta Tons de Cinza”, é fruto da imaginação de E.L. James, abreviação de Erika Leonard James, 51. A britânica é casada, tem dois filhos e mora em Londres.

Desde que o primeiro livro foi lançado, em 2012, a vida dessa ex-executiva de TV mudou completamente. Além de ter faturado com a venda da obra. Após o lançamento do trailer do filme, a trilogia voltou a integrar o ranking dos livros mais vendidos no mundo.

Os direitos para o filme custaram a Hollywood cerca de U$ 5 milhões.

Erika sempre quis escrever histórias pelas quais os leitores se apaixonassem. Porém, teve de adiar o seu sonho para cuidar da carreira e da família. Ao conhecer a saga “Crepúsculo”, de Stephanie Meyer, começou a escrever histórias que não foram publicadas.

Por meio de um fórum de “Crepúsculo” na internet, ela descobriu o site Fanfiction, onde pessoas publicam novas versões de histórias das quais são fãs.

Infeliz no trabalho, ela tomou coragem e começou a se dedicar à redação de seu primeiro romance, como uma forma de escapar da rotina. Ela leu contos de sadomasoquismo e decidiu escrever uma história sobre como seria se encontrar com alguém desse universo.

A trama fez sucesso e atraiu a atenção de editores. A diretora do filme, Sam Taylor-Johnson, tem afirmado em entrevistas que a relação entre ela e a autora é delicada. Porém, em vídeo divulgando a sua primeira impressão sobre a produção, Erika elogia o resultado e, principalmente, o elenco.

Dominador. Com o sucesso de “Cinquenta Tons de Cinza”, Christian Grey dominou o imaginário feminino e houve muita especulação sobre quem daria vida ao protagonista masculino no filme.

O irlandês Jamie Dornan desbancou fortes candidatos e assumiu o posto. O inglês Charlie Hunnam havia sido a primeira escolha dos produtores, mas acabou desistindo pouco antes de as filmagens começarem.

Antes de virar Christian Grey, Jamie Dornan teve uma sólida carreira de modelo. No universo cinematográfico, fez “Maria Antonieta” (2006), dirigido por Sofia Coppola. Ele é mais conhecido por seus papéis na televisão e já viveu o xerife da série “Once Upon a Time”, sobre contos de fadas. Atualmente, é um assassino na série “The Fall”.

Casado com a atriz Amelia Warner e pai de uma filha pequena, chegou a visitar um local com sadomasoquistas reais em ação para observar e se preparar para o papel do dominador vivido em “Cinquenta Tons de Cinza”.

Conforme Dornan já havia antecipado, não há no filme nenhuma cena de nu frontal dele.

Pelo mundo

Enquanto na Malásia e no Quênia, “Cinquenta Tons de Cinza” foi proibido de ser exibido por ter sido considerado pornografia, no Brasil, o filme é recomendado para maiores de 16 anos e, na França, para jovens acima de 12.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave