Câmara acelera projeto que trava fusão de partidos

O objetivo da proposta é minar as movimentações políticas do ministro Gilberto Kassab, que trabalha nos bastidores, com o aval do governo, para recriar o Partido Liberal

iG Minas Gerais | Folhapress |

RODRIGO CLEMENTE -7.4.2011
undefined

Impondo nova derrota ao Palácio do Planalto, a Câmara dos Deputados acelerou nesta quarta-feira (11) a tramitação de um projeto que dificulta a fusão de partidos.

Apesar da resistência do PT, a proposta ganhou urgência e poderá ser votada em breve diretamente no plenário da Casa, sem precisar passar pelas comissões.

O projeto é patrocinado pelo PMDB e ganhou aval do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que se aliou à oposição para tentar barrar uma articulação patrocinada pelo Planalto para diluir o peso do PMDB dentro da base de apoio ao governo.

"Queremos coibir a indústria de formação de partido político", disse o líder do DEM, Mendonça Filho (PE), autor do projeto.

O objetivo da proposta é minar as movimentações políticas do ministro Gilberto Kassab (Cidades). Cacique do PSD, o ex-prefeito de São Paulo trabalha nos bastidores, com o aval do governo, para recriar o Partido Liberal.

Sua intenção é inflar esse novo partido, que já nasceria governista, com deputados da oposição e do PMDB. As regras da fidelidade partidária permitem a migração para novas legendas sem o risco de cassação do mandato.

Criado o PL, a intenção de Kassab seria fundi-lo ao PSD, tornando a legenda, possivelmente, a maior do Congresso Nacional. O movimento começou em 2014 e ganhou força durante a reforma ministerial, quando a presidente Dilma Rousseff prestigiou Kassab.

As negociações irritaram especialmente o PMDB, principal aliado do governo, e partidos da oposição, que acertaram a reação.

Pelo projeto capitaneado pelo DEM, e que conta com o apoio de Cunha, somente será permitida a fusão dos partidos após cinco anos de sua criação.

Se aprovado, o texto praticamente jogaria por água abaixo as articulações para recriar o Partido Liberal, já que seria pouco interessante a um deputado ficar cinco anos em um partido que não teria praticamente nenhum tempo na propaganda eleitoral, o principal trunfo das campanhas políticas.

Em entrevista à reportagem, o novo presidente da Câmara disse que o PMDB pensa em ir à Justiça para barrar esse tipo de fusão.

Kassab, nas redes sociais, já classificou de "excelente iniciativa da Câmara" a discussão do projeto. Oficialmente, o ministro nega participação na recriação do PL. Para tentar se descolar do movimento, o PSD assinou o requerimento para acelerar a votação da proposta.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave