No Cruzeiro, Paulo André deixa Bom Senso em segundo plano

Defensor mantém luta por melhorias no futebol, mas quer separar reivindicações coletivas de seu vínculo com a Raposa

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Um dos líderes mais ativos do movimento, zagueiro coloca assuntos relacionados ao Cruzeiro em primeiro plano
Washington Alves / Light Press / Cruzeiro
Um dos líderes mais ativos do movimento, zagueiro coloca assuntos relacionados ao Cruzeiro em primeiro plano

Contratado como o principal reforço do Cruzeiro para o sistema defensivo, o experiente zagueiro Paulo André, campeão mundial pelo Corinthians, evitou aprofundar-se em temas relacionados ao Bom Senso FC. Lider do movimento que contesta a gestão do futebol brasileiro, e que ganhou a adesão de vários atletas no ano passado, o jogador quer respeitar o ambiente de seu novo clube.

"Durante os jogos não dá para conversar com os atletas (sobre o Bom Senso). A gente sabe da situação delicada que eles vivem, temos tentado discutir isto amplamente. Desde a época que jogava no Corinthians, eu sempre tentei deixar estas coisas separadas. Acho que a prioridade aqui é falar do clube", disse o defensor, de 31 anos.

"Continuo a minha luta, mas gostaria que focássemos a questão do clube, quero dar um pouco mais de tranquilidade aos jogadores. Peço a compreensão de vocês (jornalistas). Estou à disposição para falar do movimento em horário diferente", complementou Paulo André.

Em 2014, o movimento organizou protestos em diversos jogos do Campeonato Brasileiro. Antes dos duelos,os jogadores chegaram a cruzar os braços. Em outros atos, eles se sentaram no gramado. Entre outras reivindicações, os atletas querem que a CBF enxugue o calendário, reduzindo o número de datas com partidas oficiais. Com menos jogos, os atletas reduziriam o risco de lesões, fariam uma preparação melhor e, de acordo com eles, mostrariam um futebol de melhor qualidade.

Leia tudo sobre: paulo andrécruzeiroraposabom senso f.c