Acionistas cobram US$ 500 mi

Investidores entram com processo para ressarcimento após denúncias derrubarem ações

iG Minas Gerais |

Sem fundo. Petrobras vai enfrentar processo nos EUA e pode ter que ressarcir acionistas e pagar multas
FÁBIO MOTTA/ESTADÃO CONTEÚDO - 11.4.2014
Sem fundo. Petrobras vai enfrentar processo nos EUA e pode ter que ressarcir acionistas e pagar multas

Nova York. A lista de detentores de ações da Petrobras nos EUA (American Depositary Receipts – ADRs) que aderiram à ação judicial coletiva entregue à Corte de Nova York contra a estatal petrolífera mostra que os nove maiores acionistas reclamam perdas que podem atingir, pelo menos, US$ 500 milhões.  

A petição entregue pelo escritório americano Wolf Popper, em conjunto com o brasileiro Almeida Advogados, foi assinada pela Union Asset Management Holding AG, Handelsbanken Fonder AB, Ohio Public Employees Retirement, Public Employee Retirement System of Idaho, Employees Retirement System of the State of Hawai, Universities Superannuation Scheme Limited, Skagen AS, Danske Invest Management A/S, Danske Invest Management Company.

Os fundos afirmam que tiveram perdas superiores a US$ 50 milhões, cada. A ação judicial coletiva, ou class action, teve início no ano passado. A primeira audiência será no dia 9 de março, em Nova York.

“O esquema de lavagem de dinheiro e suborno foi estimado em R$ 10 bilhões ou cerca de US$ 4,4 bilhões. Além de altos executivos da Petrobras, o esquema ilegal de suborno e de propina envolveu políticos e um grupo de, pelo menos, 16 empreiteiras que formaram um cartel que assegurou que os seus membros iriam ganhar grandes contratos da Petrobras”, diz ação.

O documento destaca que a prisão de executivos da estatal, por suspeita de corrupção, e admissões de que a empresa pode ter de ajustar suas demonstrações financeiras provocaram a queda nas ações da Petrobras.

Entre os investidores com maiores prejuízos, o Universities Superannuation Scheme (USS), fundo de pensão de professores e pesquisadores do Reino Unido, argumenta que teve perdas de US$ 84 milhões aplicando em bônus e ADRs. Já a gestora Skagen, da Noruega, e o Danske Bank, da Dinamarca, reclamam até US$ 267 milhões. Além dos europeus, um grupo de fundos de pensão de servidores dos Estados de Ohio, Idaho e do Havaí reclama até US$ 127 milhões.

Multas

Pena. EMPO O Tmostrou nesta segunda que a investigação da Securities and Exchange Comission sobre a atuação da Petrobras na Bolsa de Nova York pode render multa de R$ 68 milhões.

Sem foro Citados. Todos os processos com as citações de autoridades que ficaram sem mandato e que perderam o foro privilegiado já foram remetidos à Justiça Federal no Paraná, onde tramita a investigação em primeira instância da Lava Jato. Separação. A decisão pelo desmembramento foi do ministro Teori Zavascki, relator dos processos da Lava Jato no Supremo. Mistério. A Procuradoria e o STF mantêm em sigilo os nomes de todos os políticos citados, inclusive os que perderam o foro privilegiado.

Oposição coleta assinaturas para instalar CPI do BNDES São Paulo. O líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), começou a coletar assinaturas para tentar instalar uma CPI do BNDES no Senado Federal e uma CPI Mista para investigar empréstimos concedidos por essa instituição. O senador justifica sua intenção de instalar uma CPI para investigar o BNDES baseado em citações ao banco em depoimentos da operação Lava Jato. Segundo Caiado, delatores teriam dito que o esquema da Petrobras é “café pequeno” se comparado ao banco. “Vários dos delatores da Lava Jato citaram que o escândalo da Petrobras era um fato menor diante do que estava acontecendo com o BNDES. Existe um fato que já foi denunciado. Caberá a nós apurar onde estão esses desvios”, disse Caiado. A intenção do senador é trabalhar em mais de uma frente para conseguir “o maior número possível” de assinaturas e instalar a CPI no Senado ou uma mista, com integrantes da Câmara e do Senado. Ele destaca que as conversas com os parlamentares ainda estão no início.

Leia tudo sobre: lavajato