Acordo libera pauta e fim da verba indenizatória pode ser votado

Vereadores da oposição se comprometeram a não obstruir mais a pauta, e votaram dois vetos dos sete que travavam a agenda da Casa

iG Minas Gerais | Tâmara Teixeira |

A base e oposição abriram um canal de diálogo na Câmara de Belo Horizonte na sessão desta terça-feira (10). Os vereadores da oposição se comprometeram a não obstruir mais a pauta, e votaram dois vetos dos sete que travavam a agenda da Casa. Em contrapartida, serão recebidos pelo governo de Marcio Lacerda (PSB) para discutir o projeto da Parceria Público Privada do estacionamento subterrâneo na capital.

O grupo também conseguiu enterrar o projeto proposto pela base sobre a revisão do regimento interno, que na avaliação dos oposicionistas era uma tentativa de diminuir os mecanismos de obstrução da minoria e também reduzia o tempo desses parlamentares diante do microfone, entre outros pontos. Outro texto, sobre o qual se tem acordo, e que já havia sido apresentado há dez anos, será resgatado com alterações nas regras da Casa. Essa última exigência era uma das principais demandas para a oposição votar a mudança na verba indenizatória, o que pode acontecer amanhã. A base de Lacerda também se comprometeu a retirar os projetos polêmicos do estacionamento subterrâneo e o da venda de terrenos no Jardim Canadá. A oposição aceitou apreciar os demais cinco vetos na sessão plenária desta quarta-feira (11). A partir da liberação, ficou acertado que serão votados sete projetos de autoria dos vereadores e um do Executivo, sucessivamente. Ainda ficou decidido que será apresentado e votado nesta quarta-feira, um substitutivo do projeto que extingue a verba indenizatória. O conteúdo da atual proposta será o mesmo, com a licitação de todos os itens dos R$ 15 mil a que cada parlamentar tem direito por mês. A diferença é que o projeto será assinado por todos os 41 vereadores e não mais só pelo presidente Wellington Magalhães (PTN).

O acordo para liberar a pauta só aconteceu depois de a oposição manter a sua estratégia de obstrução da pauta. Nos primeiros 15 minutos da sessão desta terça-feira, foram pedidos por quatro vezes a verificação de quórum. Com poucos vereadores da situação na Casa e com dificuldades de aprovar os vetos, os aliados do Executivo decidiram fazer uma pausa na sessão e propuseram um acordo com a oposição. Uma reunião no início da tarde já tinha sido fracassada neste sentido. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave