Oposição pede abertura de CPI para investigar as ciclovias em SP

Matarazzo diz que a ideia é esclarecer os métodos de contratação, os gastos das ciclovias e as condições das rotas

iG Minas Gerais | Folhapress |

Haddad diz que paralisação de ônibus em São Paulo é 'injustificável'
MARCELLO CASAL JR./AGÊNCIA BRASIL
Haddad diz que paralisação de ônibus em São Paulo é 'injustificável'

A oposição na Câmara de São Paulo protocolou um pedido de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar as ciclovias da criadas na gestão Fernando Haddad (PT).

O requerimento foi feito pelo líder do PSDB e pré-candidato à prefeitura Andrea Matarazzo (PSDB). O tucano conseguiu até esta tarde 23 assinaturas - quatro a mais do que o necessário- para apresentar o pedido.

Para ir adiante, a CPI tem que ser aprovada em plenário, mas entra numa espécie de fila de comissões. Porém, se houver acordo entre os vereadores ela pode ser colocada antes das demais.

Matarazzo diz que a ideia é esclarecer os métodos de contratação, os gastos das ciclovias e as condições das rotas. Levantamento da prefeitura mostra que estão sendo investidos cerca de R$ 112 milhões em ciclovias e obras de melhorias no viário no entorno de algumas delas.

O TCM (Tribunal de Contas do Município) também apontou uma série de irregularidades na construção das faixas exclusivas, entre elas a falta de projeto básico, de justificativa para as quantias estimadas no orçamento das obras e de detalhamento do objeto dos contratos.

O órgão diz que também foi indevida a utilização de Ata de Registro de Preços para a contratação dos serviços, quando o correto seria chamar uma licitação no modelo de concorrência. A ata só é indicada em compras simples, como as feitas em serviços de manutenção.

"O governo [municipal] tem uma interpretação muito dúbia sobre o que é obra de ciclovia e o que não é", disse Matarazzo.

Ele se refere ao fato de a administração argumentar que os R$ 54 milhões previstos para a ciclovia da avenida Brigadeiro Faria Lima não serem somente para a instalação da faixa de bicicletas, mas incluir outras intervenções, como novos pontos de ônibus, sinalização e melhorias na acessibilidade.

"Não é possível ter ciclovias brasileiras com custo alemão. Eu diria que o custo é mais alto que o alemão e a qualidade é quase igual ou pior que a cubana", afirmou o vereador.

Presidente do PT municipal, o vereador Paulo Fiorillo (PT) diz que a medida é precipitada. "O debate sobre a qualidade e o custo das ciclovias tem que ser feito, mas há comissões fixas na Casa para isso. Acho precipitado a oposição pensar em CPI" disse Fiorillo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave