Idosas lutam para manter espaço onde faziam ginástica e artesanatos

Segundo a Prefeitura de Contagem, espaço precisará ser utilizado pelas mais de 300 crianças atendidas na Cemei do bairro

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

As mais de 150 idosas estão desesperadas por perderem o espaço usado para as atividades
MARIA EUNICE / WEB REPÓRTER
As mais de 150 idosas estão desesperadas por perderem o espaço usado para as atividades

Há cerca de dois anos, as mais de 150 idosas que fazem parte do Grupo de Convivência de Bem com a Vida reaprenderam o gosto de viver através da prática de aeróbica e fazendo artesanatos em um espaço cedido pela Prefeitura de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Entretanto, na última quarta-feira (4), funcionários do executivo foram até o local, o Educarte Água Branca, e fecharam uma das salas usadas por elas.

Desesperada, uma das beneficiadas pelo projeto resolveu procurar a reportagem de O TEMPO para denunciar o descaso. "Há dois anos eu estava em depressão, mal conseguia falar. Foi o grupo que me fez mudar e, hoje, estou aqui botando a boca no trombone para tentar manter isso que nos faz tão bem", explicou a aposentada Maria Eunice Reis, de 68 anos.

O local era destinado à Educação Integral e Integrada para alunos das escolas municipais da região. Porém, como sobravam algumas salas, as idosas acabaram recebendo o direito de fazerem suas atividades no prédio, localizado na avenida Seis, no bairro Conjunto Água Branca. "São quatro turmas de ginástica por manhã, com 40 a 50 idosas cada. Mas além disso, tínhamos também uma sala onde fazíamos bordados, tricô, crochê, algumas faziam tapetes e outros artesanatos. Eles vieram e fecharam esta sala e queriam inclusive levar coisas, como a máquina de costura, que adquirimos com as festas que fazemos e doações", lembra.

Após avisarem sobre o fechamento, os funcionários municipais retornaram no dia seguinte acompanhados de duas viaturas da Guarda Municipal. "Só senhoras de mais de 60 anos. Precisava chamar guardas para ajudar? O que nós poderíamos fazer? Queriam levar tudo, até alguns bancos. Tivemos que implorar para deixarem parte das cadeiras, já que muitas de nós tem problema nas pernas e não poderia esperar em pé", lamentou Maria Eunice.

A professora aposentada Maria Trindade, de 64 anos, também está preocupada com o que elas acreditam ser uma expulsão do local. "A gente não tem dinheiro para pagar por fora para fazer exercícios físicos ou aprender o bordado. Nós ainda temos muita gente na lista de espera para poder participar do grupo, mas agora não sabemos nem se poderemos mantê-lo", reclamou.

A principal queixa das aposentadas é por conta da falta de resposta concreta sobre o porquê de perderem o benefício. "Dizem que foi a pedido da diretora do Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei) Água Branca, que fica bem aqui do lado e que tem um espaço imenso", comentou.

As idosas também afirmam que desde o início de 2015 as mais de 100 crianças que participavam das atividades da escola integrada também perderam o espaço. "Tinha uma cozinha que fazia alimentos para eles em todos os turnos, aula de música, faziam o dever de casa. E este ano nenhuma destas crianças pode se matricular e as salas foram todas fechadas", explicou Maria Eunice.

Ainda segundo a aposentada, são todas crianças carentes e que as mães estavam trabalhando no turno em que não estavam na escola. Outras idosas afirmam que seus netos, que ficavam no local, não conseguiram encontrar vagas na Cemei e nem nas outras escolas que trabalham com o ensino em tempo integral da região.

"Não queremos que eles arrumem o espaço, que é precário, só queremos manter o nosso cantinho. Mesmo que tenhamos que pagar consertos e a manutenção com os eventos que fazemos", finalizou Eunice.

Resposta

Procurada, a Secretaria Municipal de Educação divulgou uma nota tratando sobre o impasse com o grupo de convivência. Veja o texto na íntegra:

- A função social dos Educartes é atender crianças e adolescentes no contraturno escolar

- A partir de 2015, serão cerca de 300 crianças atendidas pelo Cemei Água Branca e, no contraturno escolar, no Educarte do mesmo bairro

- Com o aumento do número de crianças que serão atendidas pelo Educarte Água Branca, faz-se necessário a utilização de todo o espaço para a aplicação de atividades que auxiliem no completo desenvolvimento das crianças entre zero e cinco anos

- Quanto à oferta da Educação Integral na Região do Água Branca, a prefeitura informa que as escolas municipais Avelino Camargos, no bairro Jardim Bandeirantes, e Dora de Mattos, no bairro Eldorado, encontram-se totalmente preparadas para esse atendimento

- A prefeitura informa, ainda, que o grupo de convivência pode procurar a Secretaria da Pessoa com Deficiência, Mobilidade Reduzida e Atenção ao Idoso e marcar uma agenda para encontrar possibilidade visando a continuidade das atividades desenvolvidas pelo grupo. O endereço é na rua das Mangueiras, nº 209, Eldorado. Telefone: 3352-2858