Após desbloquear ponte Rio-Niterói, trabalhadores do Comperj chegam à

Quando passavam pela ponte Rio-Niterói decidiram descer no meio da ponte, na altura do vão central, e seguir a pé

iG Minas Gerais | Agência Brasil |

Cerca de 400 trabalhadores da empresa Alumini Engenharia que trabalham nas obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) bloquearam por duas horas e meia a Ponte Rio-Niterói no início da tarde de hoje.

Os trabalhadores saíram de ônibus de Itaboraí (RJ) para o Rio de Janeiro a fim de participar de manifestação em frente à sede da Petrobras, na Avenida Chile, centro do Rio.

Quando passavam pela ponte Rio-Niterói decidiram descer no meio da ponte, na altura do vão central, e seguir a pé. Com isso, houve muitas retenções no trânsito e no acesso à ponte pelos dois lados.

No momento, os trabalhadores estão na Avenida República do Chile, onde fica a sede da Petrobras. Eles querem o pagamento de salários atrasados há três meses, benefícios como férias, décimo terceiro salário, FGTS, tíquete-alimentação e seguro-saúde.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave