Times terão se readaptar com 'nova' regra para o Sul-Americano

Jogadores não poderão tocar na rede; cruzeirenses estão cientes deste obstáculo, mas encaram tal desafio com naturalidade

iG Minas Gerais | THIAGO PRATA |

De virada, Sada Cruzeiro o Ziober Maringá, no Paraná
DIVULGAÇÃO ZIOBER MARINGÁ
De virada, Sada Cruzeiro o Ziober Maringá, no Paraná

Não faltarão desafios para o Sada Cruzeiro neste Campeonato Sul-Americano. Apesar de alguns adversários estarem longe de serem referências do vôlei – casos do San Martin-BOL e do Club Atletico Bohemios-URU –, o time terá algumas pedreiras pela frente, a destacar o Taubaté-Funvic e os times argentinos numa eventual fase mata-mata. Só que um outro oponente dos celestes não estará do outro lado da quadra.

Durante a disputa, os atletas estão impedidos de encostarem na rede. Anteriormente, podia-se tocar em qualquer lugar abaixo da fita. Com isto, as dificuldades se tornam maiores. Mas nada que tire os sono dos atletas cruzeirenses, cientes de que estas mudanças se aplicam não apenas a eles.

“Particularmente, se torna um pouco mais difícil, porque já estamos acostumados a 'fazer rede embaixo'. Vai ser diferente. Temos que tomar bastante cuidado. Mas o que vale para a gente, vale pra todos os times. Precisamos nos readaptar a uma regra que existiu muito tempo atrás. Todo mundo vai ter dificuldade com isso, não só a gente”, ressaltou o oposto Wallace.

O ponteiro Filipe concorda com o companheiro de equipe e acredita que tal regra não será um obstáculo. Adversários mesmo serão os times com quem o Sada irá encarar.

“Tem essa nova regra do toque na rede. Não se pode mais tocar na rede, em hipótese alguma, nem em cima, nem embaixo. Estamos atentos a isto. Vai começar mais uma competição importante para a gente. Temos que trabalhar firmes, após nos classificarmos na Superliga em primeiro lugar. A equipe está bem concentrada e bem focada”, disse.

Leia tudo sobre: Sada CruzeiroWallaceFilipe