Presidente da Federação Mineira defende clássico com duas torcidas

Castellar Neto acredita que a Polícia Militar teria condições de garantir a segurança dos torcedores como em anos anteriores

iG Minas Gerais | ANTÔNIO ANDERSON |

ESPORTES - BELO HORIZONTE - MG . LANCAMENTO DO NOVO UNIFORME DO AMERICA FUTEBOL CLUBE . NA FOTO PRESIDENTE DA FEDERACAO MINEIRA DE FUTEBOL CASTELAR GUIMARAES NETO . 
FOTO: MOISES SILVA / O TEMPO 10.2.2015
ESPORTES - BELO HORIZONTE - MG . LANCAMENTO DO NOVO UNIFORME DO AMERICA FUTEBOL CLUBE . NA FOTO PRESIDENTE DA FEDERACAO MINEIRA DE FUTEBOL CASTELAR GUIMARAES NETO . FOTO: MOISES SILVA / O TEMPO 10.2.2015

No momento em que a violência entre torcidas volta a tomar conta do noticiário esportivo nacional, o presidente da Federação Mineira de Futebol (FMF), Castellar Neto, manifestou nesta terça-feira a sua vontade de que o clássico do dia 8 de março entre Atlético e Cruzeiro seja realizado com a presença das duas torcidas.

”A federação vai acatar o que for determinado pela Polícia Militar, mas eu tenho certeza que ela teria condições de garantir a segurança do torcedor como em anos anteriores”, destacou o dirigente. A briga entre torcedores do Corinthians e do Palmeiras nesse fim de semana voltou a manchar a história do futebol brasileiro e o Ministério Público tem recomendado que os clássicos sejam acompanhados apenas por uma torcida.

“A federação vai atuar no clássico com uma parte envolvida, mas quem toma a decisão é o clube em comum acordo com os órgãos de segurança pública. Na minha opinião, entendo que seria melhor meio a meio.”, ressaltou Castellar Neto, que também comentou sobre outros assuntos, como o problema de registro de atletas no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a arbitragem nos primeiros jogos do estadual.

“Não é só o futebol mineiro que está encontrando problema no registro de jogadores. A CBF está com o sistema informatizado e, no começo, foram apresentadas algumas falhas, que serão corrigidas”, afirmou o presidente da FMF. Sobre a arbitragem, Castellar Neto ressaltou que o balanço foi favorável.