Capitã da seleção, Fabiana diz que 'recado já foi dado'

Jogadora planejava manifestar-se nesta segunda-feira, na partida contra o São Bernardo, pela Superliga, porém desistiu

iG Minas Gerais | Folhapress |

Fabiana tem feito a diferença a favor do Sesi-SP nos últimos jogos
ALEXANDRE ARRUDA - CBV
Fabiana tem feito a diferença a favor do Sesi-SP nos últimos jogos

Embora tenha dito que faria algum tipo de protesto para que o episódio de injúria racial não passasse em branco, a meio de rede Fabiana, do Sesi-SP e da seleção brasileira de vôlei, mudou de ideia.

A jogadora planejava manifestar-se nesta segunda-feira (9), na partida contra o São Bernardo, pela Superliga, porém, entendeu que conseguiu transmitir sua mensagem.

"O recado que eu queria dar já foi dado. A gente sabe que essas pessoas [que cometem atos de injúria racial] são uma minoria. Todo mundo que eu encontro na rua me dá parabéns pela minha atitude, pelas minhas palavras", disse Fabi ao término da partida no ABC Paulista.

"Isso que ficou legal. Acho que não precisa fazer mais nada. As pessoas entenderam, já estão criando essa consciência. E é uma coisa que a gente tem que melhorar cada vez mais", acrescentou.

Após a vitória tranquila por 3 sets a 0 sobre o São Bernardo (25/21, 25/15 e 25/16), Fabi ficou cerca de 15 minutos atendendo a inúmeros pedidos de fotos e autógrafos de torcedores que compareceram ao ginásio.

O CASO

Fabiana foi vítima de injúria racial no dia 30 de janeiro, no jogo contra o Minas Tênis Clube, disputado em Belo Horizonte. Ela afirmou que um homem a chamou de "macaca" e perguntou se ela "queria banana".

Depois de ser denunciado, o torcedor foi retirado imediatamente do ginásio do Minas e encaminhado à delegacia.

No jogo seguinte ao ocorrido, no último dia 30, a meio de rede disse que não prestaria queixa contra os torcedores do clube mineiro, entretanto, achava importante "mostrar que isso é errado".

Leia tudo sobre: vôleifabianasesiracismosuperligasão bernardoprotesto