Mudanças por mais áreas verdes

iG Minas Gerais |

Durante a Conferência Municipal de Políticas Urbanas, no ano passado, foram aprovadas propostas consideradas um avanço no que diz respeito à drenagem urbana e questões hídricas. Um projeto de lei com todas as alterações está sendo redigido e deve ser apreciado na Câmara Municipal em breve.

Uma das ideias é proibir a troca da área permeável por caixas de captação (que regulam a captação da água da chuva, evitando enchentes e garantindo a infiltração no solo). O objetivo é aumentar as taxas de permeabilidade nos terrenos.

“A urbanização reduziu as áreas verdes, e se não houver uma gestão inteligente do solo, pode ser muito prejudicial. O percentual alto de área verde no Barreiro, por exemplo, hoje é muito função da serra do Curral, mas ainda gera uma escassez dentro da própria regional, que tem poucos parques e vias arborizadas, prejudicando a drenagem e a qualidade do ar”, explicou a gerente de coordenação de instrumentos de política urbana, da Secretaria Municipal Adjunta de Políticas Urbanas, Gisella Lobato.

A ideia agora é que os lotes, mesmo ocupados, continuem possibilitando a drenagem da água da chuva. Várias estratégias são pensadas pelo Executivo para garantir o aproveitamento dos lotes, como unir as caixas de captação, os pisos intertravados (que permitem a infiltração da água), o reúso da água e os jardins na frente dos imóveis.

“Em algumas áreas serão exigidas ou incentivadas a plantação de árvores e afastamento frontal com vegetação. Assim também conseguimos fiscalizar melhor e favorecer os pedestres. Quando está no interior do imóvel, não tem como saber se depois a área permeável foi cimentada”, completou Gisella. (JS)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave