Em tempos de crise, alegre-se no Senhor

iG Minas Gerais |

Às vezes, olhamos as circunstâncias e a nossa fé parece enfraquecer. Habacuque, 3.17, diz assim: “Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no Senhor, exulto no Deus da minha salvação. O Senhor Deus é a minha fortaleza, e faz os meus pés como os da corça, e me faz andar altaneiramente”. Alguns podem até experimentar momentos difíceis na vida, mas a crise não desenvolve o caráter; a crise revela o caráter. É na crise que mostramos quem realmente somos. Nesse contexto do profeta Habacuque, ele estava vivendo uma crise, todos os seus sonhos se frustraram. Numa época de grandes incertezas morais e espirituais, a crise social abalava a sociedade de seu tempo. Ele, então, nos oferece a jornada espiritual de um homem que vai da dúvida à adoração, da incerteza à fé, da angústia à segurança em Deus. Ele parecia ser uma pessoa imbuída de grande senso de Justiça que não o permitia ignorar a violência vigente. Seu desafio era aprender a confiar naquele que tudo pode e que é fiel. Tudo o que ele plantou, tudo aquilo que esperava colher, tornou-se decepção. Então, ele disse: “Ainda que isso viesse acontecer, exulto no Deus da minha salvação”. A nossa alegria vem do Senhor e devemos sempre buscar essa fonte que se encontra, na fé, no relacionamento com Ele. A Palavra diz, em Habacuque, 2.4: “O justo viverá pela fé”. Habacuque aprendeu a confiar no Senhor, mesmo diante de um coração decepcionado com as circunstâncias a sua volta. A alegria no Senhor é infinita, não tem fim. Não estamos vivendo uma religião, a nossa fé é um relacionamento com o Senhor. A conversão não é mudar de religião, nem uma mudança de igreja, não é um carimbo trocado, mas, sim, preencher o vazio na vida. Todo ser humano tem esse vazio, e ele tem a forma de Deus. Milhões de brasileiros procuram preencher esse vazio pulando Carnaval, fazendo parte de uma escola de Samba, de desfiles, bailes, praticam atrocidades, as mais terríveis porque acreditam que na Quarta-Feira de Cinzas, ao colocar um pouco de cinza na testa, os pecados serão perdoados. Não é assim. A vida só é vida quando temos Jesus, quando Ele mora em nossa vida. Quem sabe você é alguém que um dia andou nos caminhos dEle e se afastou. Hoje é o dia de você voltar para Ele. De experimentar da alegria do Senhor em sua vida. Não existe nada no mundo que possa saciar a sua sede, seja de paz, de plenitude de vida, somente Jesus pode nos levar à salvação. Jesus é o único caminho, é por meio Dele que somos salvos, que recebemos da graça redentora, tornando-nos filhos e filhas do Deus eterno. Deus é o Deus da segunda chance. Ele demonstra nas Escrituras que não desiste de nenhum de seus filhos. Jesus é o Bom Pastor, ele sempre está à procura daquele que se perdeu, e está de braços abertos para receber aqueles que por algum motivo se desviaram do caminho e também para aqueles que ainda não o conheceram como Senhor e Salvador. Jesus contou as parábolas da ovelha perdida, da dracma perdida e do filho pródigo e, em todas, há um retorno, há uma nova chance; o Pai espera, se alegra em receber de volta aquele que se desviou, aquele que perdeu o tesouro maior em sua vida, o Senhor, a alegria da salvação. Ele está dizendo para você nesta hora: “Volta, buscar-me-eis e me achareis”. Ele está de braços abertos para receber você, e o que Ele oferece é essa alegria além das circunstâncias, além de qualquer situação que esteja vivendo, um coração alegre no Senhor, no Deus que pode todas as coisas. O Bom Pastor nunca desiste da ovelha; aquele que está perdido pode ser achado. Tome posse dessa realidade! 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave