Polícia Militar entra em confronto com a torcida do Palmeiras

Não se sabe o que teria iniciado a confusão, mas a PM usou bombas de efeito moral e gás de pimenta, que pode ser sentido no interior do estádio, pelos jornalistas que estavam no quarto andar

iG Minas Gerais | Folhapress |

A Polícia Militar e a torcida do Palmeiras entraram em confronto na rua Turiassu, neste domingo (8), antes do primeiro clássico no novo estádio do clube alviverde.

Não se sabe o que teria iniciado a confusão, mas a PM usou bombas de efeito moral e gás de pimenta, que pode ser sentido no interior do estádio, pelos jornalistas que estavam no quarto andar.

Um carro blindado do batalhão de choque passou a disparar jatos d'água para dispersar os torcedores, em direção à rua Caraibas. Policiais entraram na arena para buscar equipamentos.

Quando a confusão diminuiu, o cenário era de guerra: grades retorcidas, paus e pedras pelo chão e garrafas quebradas.

A partir do momento em que o clima se acalmou, a PM voltou a organizar as filas para a entrada do público que ainda não havia conseguido entrar no estádio. Muitas mulheres e crianças estavam no local, bastante assustadas com o tumulto.

ÔNIBUS A PM bloqueou o trânsito da av. Francisco Matarazzo nos dois sentidos para a chegada do ônibus do Corinthians, nesta tarde.

Com a interdição, muitos torcedores alviverdes que tentavam acessar os portões da arena não conseguiram passar.

A delegação corintiana chegou por volta das 15h45, sem grandes tumultos --apenas sob vaias e xingamentos dos palmeirenses.

SHOPPING Uma confusão teve início no shopping Bourbon, quando um torcedor do Palmeiras viu um menino usando boné nas cores preto e branco dentro do estabelecimento, e resolveu tirar satisfações com o pai da criança.

A segurança conseguiu conter a confusão sem maiores problemas.

VIOLÊNCIA Antes do início do clássico, um carro da rádio Jovem Pan foi atacado por torcedores do Palmeiras nas imediações do novo estádio do clube alviverde.

De acordo com a emissora, o motorista estava sozinho quando torcedores palmeirenses começaram a dar socos e chutes. Um retrovisor foi quebrado. O episódio aconteceu na Rua Turiassu.

"Deixei a equipe de esportes no estádio, mais de cinquenta torcedores uniformizados me cercaram. Não tinha o que fazer. Eles vieram e começaram a dar tapas no carro, quebraram o retrovisor.

Tinham apenas dois policiais do outro lado da rua, que não puderam agir", descreveu o motorista, que teve seu nome preservado, ao site da rádio.

"O negócio é assustador, nunca passei por isso na minha vida", completou. O funcionário não ficou ferido.

Leia tudo sobre: futebolpalmeirascorinthiansbrigaviolência