Santo Bando arrasta 3.000 foliões às ruas da região Centro-Sul

Depois de três anos longe da folia, bloco tradicional volta muitos confetes, serpentinas e fantasias

iG Minas Gerais | Dayse Aguiar |

CIDADES . BELO HORIZONTE , MG

PRE CARNAVAL

O tradicional bloco Santo Bando desfila pelas ruas do bairro Santo Antonio, em Belo Horizonte

FOTO: LINCON ZARBIETTI / O TEMPO / 07.02.2015
Lincon Zarbietti / O Tempo
CIDADES . BELO HORIZONTE , MG PRE CARNAVAL O tradicional bloco Santo Bando desfila pelas ruas do bairro Santo Antonio, em Belo Horizonte FOTO: LINCON ZARBIETTI / O TEMPO / 07.02.2015

Após três anos sem participar do pré-Carnaval de Belo Horizonte, o tradicional bloco carnavalesco Santo Bando voltou a agitar os foliões neste sábado (7), no bairro Santo Antônio, na região Centro-Sul.

Com muitos confetes, serpentinas e fantasias, a concentração da festa aconteceu na rua Paulo Afonso e, segundo os organizadores, cerca de 3.000 pessoas participaram da folia.

Fundado em 2004, o bloco deu uma pausa devido a problemas na estrutura que colocavam em risco a segurança e o conforto dos foliões.

"O Ministério Público de Minas Gerais fez uma série de exigências e, na época, não tivemos condições de atender à demanda. Mas, neste ano, a  Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur) fez contato, propôs uma parceria e nos convidou a retornar ao calendário oficial do pré-Carnaval de Belo Horizonte", contou o médico e organizador do bloco, Edmundo Lery.

"O Santo Bando surgiu para proporcionar alegria às pessoas e, é muito bom compartilhar essa folia com velhos amigos e, ao mesmo tempo, conhecer novas pessoas de todas as idades".

Com o apoio da bateria do Bloco dos Invasores, em um trajeto de cerca de duas horas, o Santo Bando saiu pela rua Paulo Afonso, passando pela Abre Campo, seguindo na Teixeira de Freitas e Carlos Gomes e retornando à Paulo Afonso.

Estrutura

Além da presença de agentes da BHTrans, que gerenciaram o trânsito local, o público também contou com a presença de policiais militares, cerca de 50 banheiros químicos e duas ambulâncias que estavam de prontidão.

Para a bancária Cristina Costa, o apoio da prefeitura foi essencial para o retorno do bloco. "Sempre estivemos presentes nos anos anteriores e é muito bom poder voltar às ruas para reencontrar os amigos e trazer nossas filhas para se divertir em uma festa segura e bem organizada".

Leia tudo sobre: carnavalcarnaval 2015Carnaval