Cruzeiro mantém busca por meia, mas Marcelo admite dificuldades

Diretoria sustenta procura por substituto de Everton Ribeiro; último nome, Cleiton Xavier acabou acertando com o Palmeiras

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Marcelo Oliveira apenas observou os treinamentos na Toca da Raposa II
Washington Alves / Light Press
Marcelo Oliveira apenas observou os treinamentos na Toca da Raposa II

O zagueiro que o técnico Marcelo Oliveira tanto queria chegou, mas um meio-campista para substituir à altura Everton Ribeiro, fato prometido pela diretoria, ainda não. Em conversa informal com os jornalistas, na tarde desta sexta-feira, na Toca da Raposa II, o supervisor de futebol, Benecy Queiroz, afirmou que o clube segue em busca deste jogador, uma peça que completaria com perfeição o elenco modificado para a temporada 2015.

Mas a procura esta difícil. O próprio técnico Marcelo Oliveira atesta os obstáculos impostos pelo mercado. "Quase sempre o que se espera de um meia é um armador, que bata faltas, que tenha uma bola parada boa, que organize o time. Existe essa possibilidade (de contratação), mas a gente está com problemas em relação a esse tipo de jogador. Estamos bem atentos em relação a isso para que a gente acerte na contratação", avaliou Marcelo.

Nas últimas semanas, o que não faltou foram nomes. De Felipe Gedoz a Diego. Alguns deles estiveram bem perto da Toca, caso de Cleiton Xavier. Mas a concretização do negócio não aconteceu. O Palmeiras, com a destreza de Alexandre Mattos na condução de tratativas com atletas, foi certeiro e fechou com o meia de 31 anos. Uma perda considerável no planejamento cruzeirense.

Outro fator que conspira negativamente contra a Raposa é o tempo. O entrosamento tendo em vista a Libertadores precisa ser intensificado nas próximas semanas, e a ausência deste meia ou até mesmo a chegada dele em cima da competição internacional poderá fazer com que o ritmo da equipe sofra um revés. Mas Marcelo segue confiante, principalmente com o que tem observado durante os treinamentos.

"Eu percebo um grupo de jogadores, sem nenhuma exceção, muito comprometido com o treinamento. Tudo que é administrado é feito com muita vontade e dedicação. É assim que tem que ser os profissionais. Querendo ter motivação, com tática. Nesse sentido, estamos muito satisfeitos. Estamos contratando jogadores de qualidade e ficaram nomes de qualidade", pondera o treinador. "Não falta muito (para fechar o grupo). Falta muito talvez no sentido de entrosamento, de capacidade de envolvimento, entrosamento que possa virar um brilhantismo, um envolvimento. Estamos tentando combinar as características de jogadores e tentando saber se jogaremos da mesma forma que jogávamos", finaliza Oliveira.

O Cruzeiro volta a campo neste domingo, às 17h, quando encara a Caldense, no Mineirão, pela segunda rodada do Campeonato Mineiro. 

Leia tudo sobre: cruzeiroraposameiareforçomercadomarcelo oliveiratecnico