Mulheres representam quase metade dos jogadores de games no Brasil

Segundo o estudo, 47,1% dos jogadores brasileiros são mulheres, contra 52,9% de homens; pesquisa foi feito com 909 em 25 Estados e no Distrito Federal

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Na mão. 
Próxima geração do PlayStation Vita, sensível a toque e a movimento, chega antes do fim deste ano
Jae C. Hong
Na mão. Próxima geração do PlayStation Vita, sensível a toque e a movimento, chega antes do fim deste ano

O público feminino já representa quase metade dos jogadores de games no Brasil, de acordo com a pesquisa Game Brasil 2015, da consultoria Sioux.

O relatório foi apresentado em palestra durante a Campus Party 2015, que acontece até domingo (8) no São Paulo Expo.

Segundo o estudo, 47,1% dos jogadores brasileiros são mulheres, contra 52,9% de homens. Em 2013, as mulheres eram 41% e os homens, 59%, de acordo com a Sioux.

O estudo foi feito com 909 em 25 Estados e no Distrito Federal.

'É provável que em uma próxima leitura as mulheres tenham ultrapassado os homens', disse Guilherme Camargo, presidente-executivo da consultoria, durante a apresentação.

CAMPUS PARTY As fãs de videogames são presença constante na oitava edição da Campus Party.

A porto-alegrense Luiza Eitelvein, 24, é gamer desde os 11 e se surpreendeu com a quantidade de mulheres jogando que encontrou no evento.

'A gente vem pra cá e acha que vai ver só um monte de homem, mas tem bastante menina também', disse a garota, que é fã de jogos de RPG.

'Eu não tenho muitas amigas que jogam. Eu acho que muita menina que joga acaba escondendo isso, porque é um ambiente machista, principalmente nos jogos on-line', opinou Luiza Eitelvein.

Nesta sexta (6), a Campus Party recebe o debate 'Mulheres no mundo gamer', com a participação das gamers e blogueiras Déb Rodrigues e Thais Valenthiny.

Leia tudo sobre: MulheresgamesBrasiljogoscAMPUS pARTY