Marcelo elogia liderança de Paulo André e engajamento no Bom Senso FC

Zagueiro celeste era a terceira opção para a zaga, mas experiência pesou na contratação

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Treinador da Raposa elogiou o comprometimento dos atletas na busca pelo título nacional
Denilton Dias/ VIPCOMM
Treinador da Raposa elogiou o comprometimento dos atletas na busca pelo título nacional

O Cruzeiro procurava um zagueiro, e encontrou em Paulo André a resposta para encorpar o sistema defensivo, balançado após a perda de Dedé. A experiência do zagueiro, de 31 anos, será colocada à prova novamente. Sua liderança em campo é inegável, uma referência não só pela qualidade técnica, mas por sua postura fora das quatro linhas. 

"O Paulo estava entre três jogadores que o Cruzeiro pretendia. Aí cabia as negociações em relação à diretoria. Me trouxeram esse nome e eu gostei. É experiente, conquistou títulos importantes e tem uma liderança positiva. Estamos satisfeitos, foi bom, e achamos que está no nível do Léo, do Manoel e do Bruno Rodrigo também", avaliou o técnico Marcelo Oliveira. 

Campeão de tudo pelo Corinthians, Paulo André é um jogador 'cult', bem diferente do perfil que estigmatiza os atletas brasileiros. No Parque São Jorge, ele era visto como o intelectual, dono de gostos bem peculiares como o apreço pela leitura, xadrez e também pela pintura, uma relação tão forte que o faz manter um ateliê com telas de relativo sucesso.

Não demorou muito para que o torcedor corintiano apelidasse o camisa 13 de “Zica das Artes”, uma alcunha que chegou a ser utilizada até mesmo por Paulo André nas redes sociais. Aliás, a internet é um dos meios mais utilizados pelo defensor para estreitar o relacionamento com os torcedores.

Não foram poucas as postagens e brincadeiras de Paulo André via Twitter, levando um pouco do dia a dia do Timão para a Fiel Torcida. E as atividades extracampo do zagueiro não param. De garoto-propaganda à filantropia, Paulo André quer estar envolvido.

Porém, nada se compara ao engajamento do zagueiro com o Bom Senso FC, movimento de caráter contestador, que intensificou sua luta no último ano. A postura do jogador recebeu elogios do comandante cruzeirense. Mas Marcelo Oliveira quer mais do que um líder político ou social, ele quer um jogador preparado para os desafios que o Cruzeiro terá pela frente. 

"É um movimento bacana e legitimo. Tem que haver mesmo, os jogadores têm que buscar melhorias e ter deveres também. Estou recebendo o Paulo como um bom jogador, jogador de bom cabeceio e técnica, além da liderança. É importante ter dentro do campo", finalizou Marcelo. 

Leia tudo sobre: cruzeiroraposamarcelo oliveiratecnicofutebolpaulo andrezagueiro