O peso da inatividade

iG Minas Gerais | Dr. Telmo Diniz |

Que obesidade e sedentarismo são fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, todos sabemos. Porém, que a falta de exercício físico pode matar o dobro de pessoas se comparada à obesidade, ainda não. É o que sugere um estudo realizado durante 12 anos, que incluiu centenas de milhares de pessoas em toda a Europa.

O estudo foi conduzido na Universidade de Cambridge, publicado no “American Journal of Clinical Nutrition”, e tenta trazer à tona os perigos da inatividade e da obesidade. Os pesquisadores acompanharam centenas de milhares de europeus por 12 anos e avaliou os níveis de exercício das pessoas, medidas como peso, altura e a medida da circunferência abdominal. Registrou-se cerca de 670 mil mortes ao ano por inatividade, contra 330 mil por conta de excesso de peso.

Obesidade e sedentarismo, muitas vezes, ocorrem juntas. No entanto, sabe-se que as pessoas mais magras têm um maior risco de problemas de saúde se forem inativas. E as pessoas obesas que se exercitam têm melhores condições de saúde do que pessoas inativas. Em outras palavras: é melhor um gordinho que faz alguma atividade física do que um magrelinho sedentário. Uma citação de Platão, filósofo grego: “para o homem se manter sadio não basta se alimentar, mas também praticar algum tipo de movimento”.

Outro dado de grande relevância deste estudo é que uma caminhada de 20 minutos por dia pode ser suficiente para reduzir o risco de morte precoce de um indivíduo. A mensagem é simples: apenas uma pequena quantidade de atividade física por dia pode ter benefícios substanciais para as pessoas que são sedentárias. Hipócrates, pai da medicina, já dizia: “a falta de atividade física destrói a boa condição de qualquer ser humano, enquanto o movimento e o exercício físico metódico o salvam e o preservam”.

Os autores estimam que fazer o equivalente a apenas 20 minutos de caminhada por dia queima, em média, 100 kcal (“quilocalorias”). Isto levaria um indivíduo do grupo inativo a moderadamente inativo a reduzir o risco de morte prematura em até 30%. O impacto foi maior entre os indivíduos com peso normal. E, mesmo naqueles com maior IMC, o benefício foi verificado. O autor do estudo afirma que eliminar a inatividade na Europa cortaria as taxas de mortalidade em cerca de 7,5%, mas eliminar a obesidade reduziria a mortalidade em apenas 3,5%.

Apesar de saber dos ganhos que se tem ao frequentar uma academia, muitas pessoas não gostam muito do ambiente. Para ajudar, separei aqui uma lista de exercícios para fazer fora da academia: caminhe na esteira; troque o elevador pelas escadas; faça pequenas pausas no trabalho e caminhe; estacione o carro mais longe para caminhar um pouco mais; a bike pode ser uma ótima opção para quem aprecia a prática; troque a escada rolante pela convencional; saia para caminhar com seu cão.

A ideia é se movimentar. Então, mexa-se!

Faça uma boa semana.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave