Caldeirão de cultura brasileira

iG Minas Gerais | Jessica Almeida |

Formação - O grupo Guararás aposta em novos bailarinos
Divulgação
Formação - O grupo Guararás aposta em novos bailarinos

Tão presentes na nossa cultura durante a infância, seja nas brincadeiras ou nos trabalhos escolares, as lendas do folclore brasileiro muitas vezes se perdem no nosso imaginário à medida que crescemos, sobretudo para quem vive nas grandes cidades. 

Não só essas lendas, mas também os rituais indígenas, as festas populares e a religiosidade nas mais diversas regiões do país são resgatados no espetáculo “Aquarela Brasileira”, do grupo de pesquisa e projeções folclóricas Guararás, que faz sua última apresentação na 41ª Campanha de Popularização Teatro e Dança na próxima quarta (11).   Por meio da dança e do teatro, se forma uma espécie de painel da cultura popular, nesta que é uma das principais produções do Guararás. “É uma de viagem pelo espírito do folclore. São 13 bailarinos se revezando entre carimbó, catira, frevo, maracatu e outras danças típicas, num cenário que remete às cidades de interior”, explica Alexsander Magalhães, integrante do elenco e produtor do grupo.    Costurando a apresentação, histórias como a da sereia Iara, do Boto e da Mula Sem Cabeça são contadas por Magalhães e outros três participantes do grupo, que além de dançar, também interpretam personagens. “Nossa principal missão é resgatar o lado criança dentro do cidadão. Uma das nossas maiores satisfações é ver senhoras e senhores felizes no fim do espetáculo, porque voltaram à infância”, diz.   O final do espetáculo é ainda arrematado com uma surpresa para o público, relacionada ao Carnaval.    Pesquisa Para desenvolver sua linguagem e seus espetáculos, o grupo Guararás mantém um contato direto com outros grupos folclóricos do Brasil e promove pesquisas “in loco”. “Carlos Moreira, nosso diretor, realiza um trabalho profundo sobre cada movimento. Como trabalhamos com o xaxado, por exemplo, ele e alguns membros do grupo foram até a Paraíba estudar. E existe também uma pesquisa teórica orientando tudo”, afirma Alexsander.   Aquarela Brasileira Teatro Sesiminas (r. Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, 3241-7181). Dia 11 (quarta), às 20h. R$ 12 (preço único nos postos Sinparc)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave