Dilma afirma que é preciso apurar e punir as irregularidades

Mas presidente mandou um recado e disse que é importante "lembrar a importância da Petrobras para o país"

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda / Lucas Pavanelli |

Festa de 35 anos do Partido dos Trabalhadores (PT), no MinasCentro, em Belo Horizonte, reuniu militantes petistas, militantes tucanos, manifestantes e líderes políticos
douglas magno
Festa de 35 anos do Partido dos Trabalhadores (PT), no MinasCentro, em Belo Horizonte, reuniu militantes petistas, militantes tucanos, manifestantes e líderes políticos

No maior discurso da noite, a presidente Dilma Rousseff afirmou que é preciso saber apurar e punir as irregularidades "pois não se pode deixar repetir as irregularidades" na Petrobras, mas mandou um recado e disse que é importante "lembrar a importância da Petrobras para o país". "Os que erraram que paguem por eles", declarou sobre as denúncias de irregularidades, mas sem citar nomes.

"Temos que fechar as portas para a corrupção, mas não temos que fechar as portas para o crescimento. Os pescadores de águas turvas não vão acabar com o nosso sistema de partilha do pré-sal", criticou a petista logo após afirmar que a Petrobras é um bem brasileiro.

Dilma respondeu as críticas as medidas anunciadas recentemente, e garantiu que não esta mexendo nos direitos dos pobres e trabalhadores. "Não são medidas fiscais, são medidas de aperfeiçoamento das políticas sociais", destacou a presidente.

Sobre o momento vivido pelo PT, a petista disse que o partido sempre enfrentou os desafios e mandou um recado aos derrotados nas urnas. "Esses tem medo da democracia e do povo nas urnas. Nós temos força para lutar contra os que querem o retrocesso e força para resistir contra os que defendem o golpismo. Temos força para os que flertam com as catástrofes. Estamos juntos e misturados", finalizou. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave