Zé Roberto diz que torcida única no clássico é 'band-aid' sobre ferida

Jogador do Palmeiras lamentou decisão da FPF sobre clássico com um só torcida

iG Minas Gerais | Folhapress |

Meia disse nunca ter atuado em um clássico importante com torcida única
Divulgação/Palmeiras
Meia disse nunca ter atuado em um clássico importante com torcida única

Zé Roberto, capitão do Palmeiras, lamentou o fato de a Federação Paulista de Futebol (FPF) ter decidido que apenas torcedores do Palmeiras poderão assistir ao primeiro dérbi na história do novo estádio do clube.

"A questão das torcidas vai muito além de haver uma torcida única em um clássico", disse. "Muitas coisas tem que ser vistas para melhorar o futebol. Mas, colocar uma só torcida é o mesmo que colocar um band-aida sobre uma ferida, em vez de curá-la", disse.

O jogador, que já atuou no futebol da Espanha, da Alemanha e no Rio Grande do Sul, sempre disputando clássicos, disse nunca ter atuado em jogo tão importante com apenas uma torcida.

"É lamentável que haja torcedores com essa mentalidade no século 21, que promovem uma Guerra Civil antes dos jogos. Deveria haver punição. Deveria existir. É por não haver punição que temos de viver uma situação como essa, com o clássico perdendo sua beleza", afirmou.

Zé Roberto relembrou-se da própria infância, tanto quando era torcedor, como quando jogava nas categorias de base.

"Quando eu jogava no aspirantes, eu até chorava de emoção ao fazer preliminares em clássicos", disse. "Quando eu era torcedor, na semana em que ia ter clássico, eu nem dormia, só de saber que eu ia assistir ao jogo com a minha mãe no fim da semana", contou, sem revelar para que time torcia.

"O meu time eu nunca vou revelar. Não sou bobo", falou, entre risos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave