México encontra 61 corpos em crematório fechado em Acapulco

O local foi descoberto em uma operação conjunta do Exército, da Polícia Federal e da Guarda Nacional, após moradores fazerem uma denúncia anônima

iG Minas Gerais | Folhapress |

As forças de segurança do México encontraram na noite desta quinta-feira (5) 61 corpos em estado avançado de decomposição em um crematório particular na cidade turística de Acapulco, no Estado de Guerrero (a 378 km da Cidade do México).

O local foi descoberto em uma operação conjunta do Exército, da Polícia Federal e da Guarda Nacional, após moradores fazerem uma denúncia anônima dizendo que saía um cheiro forte do crematório, que fica em um bairro nobre da cidade.

A maioria dos cadáveres era de homens e estavam cobertos com lençóis e untados com cal para reduzir o cheiro. Segundo a polícia, os corpos encontrados ali são recentes, embora a instalação tenha fechado há mais de um ano.

Guerrero é um dos Estados mais pobres e mais violentos do México e tornou-se foco de atenção no país no ano passado depois que 43 alunos da escola normal rural de Ayotzinapa desapareceram em 26 de setembro, na cidade de Iguala.

Os estudantes deixavam um protesto em dois ônibus quando foram abordados por policiais municipais e traficantes do cartel de drogas Guerreros Unidos, que dispararam contra os veículos. Segundo a Promotoria, o mandante da ação foi o prefeito de Iguala, José Luis Abarca, e a mulher, María de los Ángeles Pineda, cujos irmãos estão vinculados ao cartel.

Os promotores consideram que os jovens foram levados, alguns deles com vida, a um lixão da cidade vizinha de Cocula, onde teriam sido mortos e seus corpos queimados. Apenas o corpo de um deles foi identificado pelas autoridades.

Os pais dos alunos de Ayotzinapa não acreditam na versão dos promotores e acusam o governo do presidente Enrique Peña Nieto de querer encobrir o crime. Nesta semana, alguns deles foram a um comitê da ONU em Genebra pedir mais pressão internacional por uma solução do caso.

Na quinta, milhares de manifestantes fecharam a rodovia que é o acesso da Cidade do México para Acapulco para protestar contra o desaparecimento dos jovens.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave