Boko Haram tenta invadir aldeia do Níger, mas é impedido pelo Exército

A invasão acontece um dia após cerca de 800 homens do Boko Haram entrarem em Fotokol, no extremo norte de Camarões, e deixarem pelo menos 90 mortos e 500 feridos

iG Minas Gerais | Folhapress |

O grupo radical islâmico nigeriano Boko Haram lançou nesta sexta-feira (6) um ataque à aldeia de Bosso, no Níger, na segunda invasão dos militantes a países vizinhos em uma semana. Não há informações sobre vítimas.

Segundo moradores da aldeia, a comunidade, que é separada da Nigéria por um rio, começou a ser invadida pela madrugada. Eles dizem ter ouvido explosões de armas pesadas que fizeram as casas tremer e provocaram nuvens de fumaça.

As testemunhas afirmam que o ataque foi repelido no início da manhã pelo Exército do Níger. Após a invasão, soldados do Níger patrulham as ruas de Bosso e o rio, enquanto aviões militares do Chade sobrevoam a área.

A invasão acontece um dia após cerca de 800 homens do Boko Haram entrarem em Fotokol, no extremo norte de Camarões, e deixarem pelo menos 90 mortos e 500 feridos. A cidade fica ao lado do lago Chade, também ao lado da fronteira com a Nigéria.

Nos últimos seis anos, o grupo extremista, cujo nome significa "educação ocidental é pecado", provocou milhares de mortes em operações paramilitares e atentados terroristas. Os militantes controlam boa parte do noroeste nigeriano.

Desde o início de janeiro, eles vêm avançando sobre a região do lago Chade, dividido entre Nigéria, Camarões, Níger e Chade, mas até esta semana não haviam ultrapassado fronteiras. Os três países vizinhos abrigam milhares de refugiados nigerianos.

As invasões acontecem após a União Africana ter autorizado o envio de uma força de 7.500 soldados para a região do lago Chade para lutar contra os extremistas, incluindo tropas da Nigéria, de Camarões, do Chade, do Níger e do Benin.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave