Berzoini não acredita que Bendine ficará temporariamente na Petrobras

Para o ministro das Comunicações, o novo presidente da Petrobras é "um executivo competente e preparado que teve uma gestão bastante profícua à frente do BB

iG Minas Gerais | TÂMARA TEIXEIRA |

Berzoini ainda vai consultar o ex-presidente Lula sobre o tema
Luis Macedo/ag. câmara - 8.8.2014
Berzoini ainda vai consultar o ex-presidente Lula sobre o tema

O ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, chegou à Belo Horizonte no início da tarde desta sexta-feira (6) para as comemorações dos 35 anos do PT e comentou a indicação do presidente do Banco do Brasil (BB), Aldemir Bendine, para a Petrobras. “É um executivo competente e preparado que teve uma gestão bastante profícua à frente do BB. O critério de escolha foi da presidenta. Creio que ela avaliou bem e fez uma escolha adequada”, defendeu o ministro.

Questionado se acreditaria que essa indicação seria para um mandato "tampão", Berzoini disse não acreditar nesta possibilidade. “Não participei dessa escolha, não sei qual foi a avaliação da presidenta em relação ao período que ele vai ficar, mas eu creio que ninguém nomeia um presidente fraco”, argumentou.

O ministro das comunicações disse ainda que acredita que Bendine assumirá a Petrobras “para tomar todas as providências cabíveis para fortalecer ainda mais a empresa". Perguntado sobre a resposta negativa do mercado à indicação, o político disse que muitas vezes o mercado se engana.

“O mercado às vezes faz avaliações que depois não se confirmam. Se você olhar o mercado em várias fases da história econômica do Brasil, ele foi para um lado e a economia foi para o outro, sendo que depois tiveram que corrigir suas avaliações. Vamos aguardar com o tempo a gente tem mais certeza do que avaliar”, defendeu Berzoini. 

Quando foi questionado se haveria necessidade de afastar João Vaccari Neto do cargo de tesoureiro do partido, o ministro disse que “o PT já tem maturidade para saber que essa luta política, muitas vezes travestida de jurídica e judicial, tem que ser encarada com serenidade e tranquilidade”. 

Leia tudo sobre: lava jatolavajatoptcorrupçãopetrobrasbendinepresidente