Principal gargalo do trânsito de Contagem terá trincheira

Obras começam daqui a um mês; cruzamento que recebe 70 mil veículos/dia será extinto

iG Minas Gerais | bernardo miranda / Rafaela Mansur |

A partir de 10 de março, o tráfego na Cidade Industrial, em Contagem, passará por uma alteração radical para o início das obras da trincheira no encontro das avenidas David Sarnoff e Babita Camargos. A intervenção é apontada como a solução viária para o principal gargalo da cidade, por onde trafegam 7.000 veículos em horários de pico e 70 mil por dia. A obra tem previsão de duração de um ano e cinco meses e, nesse período, a David Sarnoff será interditada no sentido Eldorado. Mais de cem linhas de ônibus terão itinerários alterados, e motoristas precisarão se acostumar com os desvios.

Quando concluída, a trincheira vai eliminar o cruzamento, reduzindo os frequentes congestionamentos na região. Quem estiver na David Sarnoff passará por baixo da estrutura, sem semáforos. Quem estiver na Babita Camargos vai trafegar por cima e terá o tempo semafórico reduzido em 30% – o sinal será necessário para os pedestres e também para o motorista que vai da Babita para a David Sarnoff. A obra deve ficar pronta no segundo semestre de 2016. A David Sarnoff será interditada no sentido Eldorado, entre a entrada do Itaú Power Shopping e a avenida Francisco Firmo de Matos. Nesse mesmo trecho, mas que no sentido Barreiro, haverá a redução de três para duas faixas. “Perto dos benefícios da obra, os transtornos não serão problemas. Há 30 anos, Contagem não recebe uma grande obra viária, e essa talvez seja a mais importante da história da cidade”, ponderou o presidente da Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes de Contagem (Transcon), Agostinho Silveira. A obra da trincheira é aprovada pelo especialista em trânsito e transportes Márcio Aguiar, que já realizou estudos para a região. Ele destaca que essa é uma medida já pensada há muito tempo, mas que só agora vai sair do papel. “O tráfego naquele ponto já está saturado há algum tempo. É uma obra que vem com certo atraso, mas com certeza é uma boa notícia, pois vai reduzir o tempo gasto no deslocamento e os congestionamentos”, afirma. Aguiar aprova a escolha pela trincheira, porque as características do relevo e geometria de tráfego favorecem a obra. Desvios. Como o local é caminho para vários destinos, uma série de desvios foi elaborada pela Transcon para amenizar os transtornos. Cada rota vai oferecer ao menos duas alternativas de trajetos para o motorista de forma a não sobrecarregar um único caminho. As interdições serão realizadas antes mesmo do início das obras. O objetivo, de acordo com o coordenador geral da Transcon, Leonardo Reis, é avaliar o comportamento do trânsito. “A intenção é conseguir analisar como vai funcionar, na prática, o nosso planejamento. Nesse período, podemos fazer ajustes, para que a obra comece já com o planejamento definitivo e com a população acostumada com as intervenções”, disse. A expectativa é que a construção da trincheira comece entre 30 e 40 dias após as mudanças no tráfego. Transporte. A mudança na circulação também vai alterar a rotina de quem anda de ônibus. Os coletivos representam 10% dos veículos que trafegam na região. Quatro pontos de ônibus serão desativados durante a interdição, o que vai afetar os deslocamentos dos usuários do transporte público. Ao todo, 102 linhas terão o itinerário alterado. A estudante Thainara Oliveira, 20, demonstra preocupação com a segurança durante as intervenções no cruzamento. “Além de precisar andar mais para pegar meu ônibus, vai ser mais perigoso, já que estudo à noite. Estou preocupada”, afirma. A assessoria de imprensa da Transcon informou que, no planejamento para a obra, a maior distância a ser percorrida por um usuário de ônibus em função da mudança será 280 metros, o que está abaixo dos 500 metros considerados aceitáveis por regras internacionais.

Divulgação Panfletos. A Transcon começará a distribuir panfletos e a afixar faixas avisando sobre os desvios e as demais mudanças no trânsito. Nos próximos dias serão divulgados os números das linhas de ônibus afetadas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave