Dinheiro mal usado

iG Minas Gerais |

Dando uma olhada mais detalhada na composição da receita dos clubes de futebol no Brasil, vejo que o problema não é falta de dinheiro para os grandes clubes, e sim, o mau uso dos recursos. Desde 2010, os clubes vêm aumentando o faturamento na casa dos 30% ao ano. Corinthians, São Paulo e Flamengo já trabalham com orçamento da ordem de R$ 300 milhões anuais. A cota de TV continua sendo a maior fonte de renda dos clubes que ainda recebem uma boa grana do sistema pay-per-view. O dinheiro ainda entra nos cofres dos clubes via novas mídias, como internet e telefones móveis, marketing, licensing, que vem a ser o que o clube ganha sobre as vendas de produtos com sua marca, bilheteria, inclusive programa sócio-torcedor e outras receitas geradas nos estádios. Aí o torcedor pergunta: Mas por que os clubes estão sempre sem dinheiro e tendo que recorrer a empresários para contratar? A resposta é simples: os pecados do passado estão sendo penitenciados agora. São grandes clubes, com grandes receitas, grandes dívidas e grandes absurdos cometidos. Os dirigentes de hoje têm que honrar os compromissos assumidos pelos antecessores. Não fossem as dívidas, os clubes teriam mais folga para buscar bons jogadores e formar grandes times.

Problema crônico. A folha salarial de Atlético e Cruzeiro gira hoje em torno de R$ 7 milhões mensais. O torcedor pode pensar que, pelo montante arrecadado, seria fácil pagar essa folha. O problema são as dívidas. Somasse a isso o fato de que muitos clubes costumam adiantar cota de televisão, e especialmente neste ano, está difícil conseguir patrocinador master.

Jeitinho brasileiro. A Fifa está tentando acabar com os empresários no futebol, mas o jeitinho brasileiro já está entrando em campo. O São Paulo mostrou o caminho. Segundo os dirigentes, um torcedor fanático, e muito rico, se ofereceu para emprestar dinheiro para o clube contratar. Ele não terá participação nos atletas e o clube vai paga-lo em suaves prestações.

Leilão. Agora em fevereiro será realizado o maior leilão do futebol mundial, mas só para ingleses. A rede de TV Sky, de Rupert Murdoch e a British Telecom vão pagar cerca de R$ 20 bilhões pelos direitos de transmissão da Premier League, de 2016 a 2019. No último acordo, as duas redes pagaram R$ 12 bilhões.

Dica de livro. Será lançado para próxima segunda-feira, em BH, o livro “Era Jesus Cristo Atleticano?” O autor, é o advogado Vinícius Leôncio, que já correu o risco de ser excomungado pela Igreja Católica. O livro contra a trajetória de Jesus de Nazaré, que tem 13 letras, e faz um paralelo com tudo que aconteceu com o Atlético nesses mais de cem anos de história.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave