Governo quer que foliões evitem a Várzea

Estudo apontou que lagoa está imprópria para o banho e a prática de esportes náuticos

iG Minas Gerais | Dayse Resende |


Perigo. 

Baixo nível de água faz aparecerem tocos, cisternas e arames
Alex Douglas / O Tempo
Perigo. Baixo nível de água faz aparecerem tocos, cisternas e arames

 

Depois de anunciar que não irá apoiar o Carnaval tradicionalmente realizado na lagoa Várzea das Flores, devido ao baixo volume de água na represa, agora a prefeitura pede que os foliões evitem o local durante o feriado. O temor é que o volume de frequentadores habituais, somados aos foliões – cerca de 10 mil durante os quatro dias de festa –, aumente os riscos de afogamentos,  acidentes e a poluição da água.    A medida foi confirmada pelo superintendente de Defesa Civil, José Coelho Ribeiro, na quarta-feira (4). A decisão foi tomada pelo município depois que um estudo feito em parceria com a Prefeitura de Contagem apontou que a situação da Várzea é “imprópria para o banho e a prática de esportes náuticos”.   “A prefeitura não tem competência para proibir a ida de pessoas à lagoa, mas podemos alertá-las sobre os riscos. Infelizmente, com a crise hídrica, o nível da lagoa baixou muito, fazendo com que aparecessem muitos bancos de areias, tocos, tijolos, cisternas, arames, além de uma grande concentração de esgoto”, disse Coelho. Ele ressaltou, ainda, que, neste sábado (7), a partir das 9h, será dado início à colocação de faixas no entorno da lagoa orientando os banhistas sobre os riscos de afogamento e acidentes.   Já a prefeitura de Contagem, cidade que também é abastecida pela Várzea das Flores, informou que, “como se trata de um espaço aberto, público, não há como impedir o Carnaval” e que, por isso, a Defesa Civil e a Guarda Municipal estarão no local durante todos os dias da folia. “O Corpo de Bombeiros e a Marinha fiscalizarão o local diariamente, para prevenir acidentes”, completou. A Copasa disse que “ainda não tem uma posição sobre esse assunto”.    Crítico O Sistema Paraopeba, que abastece a região metropolitana de Belo Horizonte, é composto pelos reservatórios serra Azul, rio Manso e Várzea das Flores. Dos três, o que apresenta a pior condição é o Sistema Serra Azul, que atualmente está com apenas 6,4% de sua capacidade. Já o sistema Várzea das Flores apresenta volume atual de 28%, e o Rio Manso, de 43,7%.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave