Prefeito cede a chantagem e demite gerente regional

Um dia após as críticas feitas por parlamentares, Milton Pascoal é exonerado

iG Minas Gerais | Lisley Alvarenga |

Exonerado do cargo, o então gerente do Alterosas, Sebastião Milton Pascoal, foi criticado, dentre outros vereadores, por Dimas do Caxias e Adélio Carlos, que têm reduto eleitoral na região.
Ronaldo Silveira/divulgação
Exonerado do cargo, o então gerente do Alterosas, Sebastião Milton Pascoal, foi criticado, dentre outros vereadores, por Dimas do Caxias e Adélio Carlos, que têm reduto eleitoral na região.

Responsáveis por resolver as demandas das comunidades que vivem nas oito regionais de Betim, alguns gerentes regionais do governo de Carlaile Pedrosa (PSDB) foram alvo de duras críticas por parte dos vereadores na reunião da Câmara ocorrida na última terça-feira (3). A ação, segundo informações de bastidores, teria sido orquestrada por parlamentares da base aliada, com o intuito de pressionar o prefeito a exonerá-los dos cargos, que seriam preenchidos por “apadrinhados” políticos dos vereadores.Um dia após a pressão dos vereadores, Milton Pascoal, da Regional Alterosas, foi destituído da função, conforme publicação do “Órgão Oficial” de quinta-feira (5).

O primeiro vereador aliado a externar sua insatisfação foi Dimas do Caxias (Pros). Ele subiu à tribuna para criticar a gestão de Milton Pascoal afirmando que sua administração “está deixando a desejar”. “Não tenho nada contra o cidadão, que, por sinal, é meu amigo, mas não concordo com a administração que vem acontecendo. Tem ruas no bairro (Alterosas) em que as crianças não têm como passar porque estão repletas de mato. É uma falta de respeito, e eu, enquanto vereador e cidadão, acho que a minha região precisa ser respeitada. Foi um compromisso do governo fazer algumas mudanças para melhorar, e acho que isso tem que acontecer, inclusive na minha regional”, disse.

A partir daí, uma sequência de declarações de parlamentares que se disseram “solidários” à reivindicação de Dimas foi desencadeada. “A gente anda pelas ruas do Alterosas e parece que a região está abandonada. Queria convidar a nossa secretária de Governo (Zizi Soares) para dar uma volta no Alterosas e ver o que está acontecendo. É uma falta de respeito com a nossa comunidade. Se o prefeito não tem coragem de tomar posição, que ele dê a caneta para o vice”, criticou Adélio Carlos (PDT), vereador da base.

Carlim do Amigão, vereador pelo Democratas, não deixou por menos. Ele acusou Pascoal de ter se apossado da regional. “Ela está ali como se tivesse sido dada a ele de papel passado, para ele fazer o que quiser”, ironizou o parlamentar.

Icaivera

Outros gerentes regionais também estariam na berlinda. O vereador Erasmo da Academia (PDT), que tem reduto eleitoral no Icaivera, disse que também estaria sofrendo problemas na sua região. Segundo ele, Charles Rodrigues, que é gerente do Icaivera, “não respeita os vereadores”. “Esses caras têm que entender que o vereador deve e merece ser respeitado. Então, Zizi, nossa secretária de Governo, quero te pedir, encarecidamente, que tome as medidas necessárias, já que nós somos a base aliada”, pediu.

Já os vereadores Sapão (PSB) e Eliseu Xavier (PTB), este último líder de governo, foram mais duros e, em declarações feitas na reunião, pediram “a cabeça” de Milton Pascoal. “Se eu tiver um assessor no meu gabinete que não trabalhe de forma correta, vou exonerá-lo na mesma hora. O governo também tem que ter essa percepção”, afirmou Sapão.

“Não há tempo mais para remendo na cidade. Se está errado, nós temos que sair daqui e ir lá no prefeito exigir que ele tome uma providência. Conte comigo. Estou pronto para sair daqui e ir lá no prefeito pedir a ele que tome uma providência em relação ao administrador regional do Alterosas. Ele tem que atender aos vereadores e às lideranças, está lá é pra isso”, chantageou Eliseu.

Surpreso

O exonerado Milton Pascoal, então gerente regional do Alterosas, estava presente à reunião na Câmara em que ele foi bombardeado com críticas feitas à gestão dele pelos vereadores.

Questionado pela reportagem sobre quais seriam os motivos das críticas, ele afirmou estar surpreso com as declarações dos parlamentares. “Fiquei assustado com as críticas. Apesar de não ter essa obrigação, sempre busquei atender às demandas dos vereadores”, tentou se defender.

A exoneração de Pascoal foi publicada no “Órgão Oficial” na quinta-feira (5), contudo, ele não foi informado com antecedência de que seria destituído da função.

A reunião com o prefeito Carlaile Pedrosa (PSDB)para tratar da questão, segundo o próprio Pascoal informou, teria sido marcada somente na tarde de quinta (5), mesmo dia da publicação no “Órgão Oficial”.

Resposta

Por e-mail, a assessoria de imprensa da prefeitura informou que a exoneração de Milton Pascoal “se trata de um ato administrativo comum no serviço público, visto que cargos comissionados são de livre nomeação e exoneração por parte do prefeito”, afirmou.

A assessoria do governo afirmou ainda que “não há definição sobre quem assumirá o cargo de Pascoal”. “Enquanto isso, quem responde pelas demandas da Gerência Regional Alterosas é a secretária municipal de Governo, Zizi Soares”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave