Futebol sofre com a falta de estrutura

Mato vira vestiário para atletas se trocarem

iG Minas Gerais | Henrique Carvalho |

Sem vestiários, os jogadores não têm privacidade para se preparar para as partidas
Henrique Carvalho
Sem vestiários, os jogadores não têm privacidade para se preparar para as partidas
A cidade que já foi considerada por muitos a capital mineira do[/NORMAL] futebol amador atualmente sofre com problemas de infraestrutura básica para o esporte. Betim possui 94 equipes de várzea regularizadas, de acordo com informações da Liga de Desportos. Porém, a manutenção dos campos parou no tempo. Os atletas que estão disputando a 2ª Copa Homero Gil sofrem na pele com a falta de vestiário, tendo que se trocar no mato. Segundo o presidente do Romero Gil, Josué da Costa, no comando da equipe desde 2010, já foram várias as promessas de alambrar o campo e construir um vestiário no local. “O futebol está abandonado. Temos o sonho de ver a construção do vestiário e da arquibancada para a torcida. Estamos nos unindo e correndo atrás para a construção do alambrado”, contou. Já no bairro Petrópolis, o início da construção de casas no loteamento ao lado do campo fechou o único acesso de veículos ao local. “Se algum atleta precisar de ambulância, infelizmente, não tem por onde o veículo entrar em campo. Além disso, também não tem mais jeito de as máquinas entrarem para patrolar”, explicou Saulo Campos, organizador do Torneio da Amizade. Em nota, a prefeitura informou que não há previsão de obras no campo do Homero Gil e que a limpeza do local acontecerá em dez dias. Ainda segundo a nota, sobre o campo do Petrópolis, a Secretaria de Obras irá visitar o local, juntamente com a Gerência da Regional centro, para avaliar as possibilidades de abertura de um novo acesso.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave