Tesoureiro do PT é suspeito de ser um dos onze operadores de esquema

Nova operação, nomeada de "My Way", apura detalhes sobre envolvimento de onze operadores em esquema de lavagem de dinheiro

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Cooperativa de crédito habitacional lesou cerca de 3.000 mutuários
MÁRCIA KALUME /AGÊNCIA SENADO
Cooperativa de crédito habitacional lesou cerca de 3.000 mutuários

A nona fase da operação Lava Jato, nomeada de "My Way", apura detalhes sobre envolvimento de onze operadores em esquema de lavagem de dinheiro, que envolve setor de serviços na Petrobras, coordenado por Renato Duque. Entre os investigados está o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, suspeito de ser o mentor das operações na área de Serviços da estatal.

O tesoureiro do PT foi detido, nesta quinta-feira (5), pela Polícia Federal, devido a um mandado de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para a delegacia para presta depoimento.

O ex-gerente da Diretoria de Serviços da Petrobras, Pedro Barusco, afirmou em delação premiada, que Vaccari recebeu propina. Na manhã desta quinta (5), investigadores realizaram buscas na casa do tesoureiro em São Paulo. Ele prestou depoimento na sede da PF e foi liberado por volta de 12h. 

Leia tudo sobre: lavajatoLava JatoPetrobrastesoureiroPT