Volta ao mundo para divulgar causa

Italiano que percorrerá 70 países de moto chegou nesta quarta a Belo Horizonte

iG Minas Gerais | Luiza Muzzi |

Até 2017, 150 mil km serão percorridos em cima de motocicleta
Uarlen Valério
Até 2017, 150 mil km serão percorridos em cima de motocicleta

Para divulgar e tentar arrecadar fundos para um projeto em prol dos portadores de síndrome de Down, um italiano está dando uma volta ao mundo em cima de uma motocicleta. Após percorrer 30 mil km em vários países da África, na Argentina, no Uruguai e no Brasil, Mauro Dagna, 47, chegou nesta quarta a Belo Horizonte, onde passará os próximos dias antes de partir rumo ao extremo sul da América do Sul. De lá, ele começará a subir pelo continente. Serão, ao todo, 150 mil km e 70 países percorridos sobre duas rodas, até 2017.

O projeto “Vagabondo per il Mondo” está em busca de investidores que possam financiar um hotel no município de Asti – próximo a Turim, na região de Piemonte – na Itália, que receberá até cem pessoas com síndrome de Down por ano. A intenção é que, no local, além de aprender ofícios de camareiro, garçom e recepcionista, entre outros, os portadores da síndrome possam se tornar pessoas seguras de si. “O objetivo não é só trabalhar, mas fazer com que eles consigam autonomia através do trabalho”, diz Dagna, explicando que a expectativa de vida dos portadores de síndrome de Down está cada vez maior, daí a necessidade de eles criarem autonomia, até mesmo para não serem abandonados quando seus pais e mães morrerem. Sem ninguém da família com a doença, Dagna se sensibilizou com a causa do Hotel Ético ao conhecer dois portadores em um restaurante que frequentava em sua cidade natal. Ele abandonou o emprego em uma multinacional e decidiu abraçar o projeto. “Aos 47 anos parei de trabalhar. Não estava satisfeito, faltava alguma coisa. Descobri que a gente não precisa fazer o que todo mundo diz para fazer, mas o que realmente a gente quer fazer”. Nas cidades onde passa, Dagna vai em busca de associações de portadores da síndrome para falar sobre o projeto que, segundo ele, pode ser replicado para qualquer lugar do mundo. “Se minha história puder mudar alguma outra pessoa no mundo, o mundo vai mudar. É preciso ter sonhos e segui-los”, afirma. Consulesa da Itália em Belo Horizonte, Aurora Russi recebeu o viajante nesta quarta em sua primeira parada na capital. “O objetivo dele é muito nobre, e quando soube da iniciativa achei que seria bom dar as boas vindas aqui no Consulado. É uma ideia que precisa de coragem e disponibilidade”.

Saiba mais Trajeto. A volta ao mundo do italiano Mauro Dagna teve início em 22 março de 2014 e deve terminar no fim de 2017. Ele já percorreu 30 mil km, sendo 7.000 na América do Sul. O italiano já gastou 2.000 litros de gasolina e trocou seis pneus. Destinos. No Brasil, o décimo país do roteiro, Dagna já esteve em Porto Alegre, Florianópolis, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Lambari e Santo Antônio do Amparo. Ele ainda vai percorrer 120 mil km, em 60 países.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave