Paulistas ensaiam pressão por comando da sigla tucana

No PSDB mineiro, setores avaliam que Aécio não corre riscos agora, mas na convenção de 2017 o jogo será mais pesado

iG Minas Gerais |

Embora o senador Aécio Neves seja franco favorito para continuar como presidente nacional do PSDB, já não há o consenso em torno de seu nome. Uma ala paulista da legenda começou se movimentar nos últimos dias para erguer a tese de que é hora de o comando do maior partido de oposição no país voltar para São Paulo. O principal fiador desta tese é o vice-presidente do PSDB, Alberto Goldman, ex-deputado federal e ex-vice-governador de São Paulo. Ele estaria tentando convencer o governador Geraldo Alckmin a aderir à tese de uma vez, e não aguardar a convenção de 2017. Isso fortaleceria nomes paulistas em 2018. Ouvido pelo Aparte, um importante senador tucano confirmou que “surgiu novamente essa tese”. No entanto, ele acredita ser improvável que Aécio não seja reeleito. Já o senador Aloysio Nunes Ferreira afirmou ao Aparte que a questão só será plenamente discutida a partir do mês de abril, mais próximo da eleição, que acontece em maio. No entanto, ele também reforça que a chance de Aécio não permanecer no comando é remota. “O Aécio se tornou um grande líder por todo o Brasil. Basta ver que em todo lugar a que ele vai as pessoas querem tirar fotos”, analisou. No PSDB mineiro, setores avaliam que Aécio não corre riscos agora, mas na convenção de 2017 o jogo será mais pesado. Por conta do bom desempenho na disputa de 2014, quando por pouco não venceu a presidente Dilma Rousseff no segundo turno, Aécio é novamente o principal nome do partido para a disputa do Planalto de 2018. No entanto, o reeleito Geraldo Alckmin e o revitalizado José Serra, que acaba de retornar ao Senado, pleiteiam a indicação.

Espaço para mulheres Em três dias de peregrinação, a bancada feminina da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) conseguiu nesta quarta bater a marca de 40 assinaturas para protocolar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que irá defender uma cadeira da Mesa Diretora reservada para uma mulher. O número necessário era de pelo menos 26. O projeto é prioridade das sete deputadas eleitas nesta legislatura, para ampliar a participação da mulher na Casa. Até hoje, nenhuma deputada ocupou um posto na Mesa. Na última legislatura, a bancada feminina tentou emplacar essa proposta, mas na forma de projeto de resolução. O texto andou nas comissões, mas não chegou a ser colocado em plenário por falta de vontade política, segundo Rosângela Reis (PROS).

Custódio volta à PBH O ex-prefeito de Juiz de Fora Custódio Mattos (PSDB), que comandou o município por duas vezes, voltará a ser secretário na Prefeitura de Belo Horizonte. Ele comandará as ações da área de Políticas Sociais do governo de Marcio Lacerda (PSB). A chegada de Custódio à PBH foi articulada pelo senador Aécio Neves. Custódio já ocupou a Secretaria de Desenvolvimento em 2013, mas deixou o cargo para assumir função de secretário geral da Governadoria no Estado. Com a saída dos tucanos do comando do Palácio Tiradentes, acabou deixando o governo de Minas. Procurado pela coluna, Custódio confirmou a volta à administração municipal e afirmou que ainda aguarda a nomeação que irá oficializar sua nova função.

FOTO: Manoel Marques / Imprensa MG Fernando Pimentel

No cargo.Quatro novos secretários de Estado tomaram posse nesta quarta. Em Montes Claros, o governador Fernando Pimentel empossou Paulo Guedes na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Integrado dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas (foto). No Palácio Tiradentes, assinaram os termos de posse: Sávio Souza Cruz, na Secretaria de Estado Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad); Tadeu Leite, na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Política Urbana e Gestão Metropolitana (Sedru), e André Quintão tomou posse na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese).

186 ASSINATURAS foram coletadas pela oposição para a criação da nova CPI da Petrobras. São 15 a mais do que o mínimo necessário para a instalação

Famosos pela CPI. Entre as 186 assinaturas obtidas pela oposição para a criação da CPI da Petrobras estão as de vários governistas. Entre eles estão o palhaço Tiririca (PR-SP), além de políticos novatos na Casa, como o cantor Sérgio Reis (PRB-SP) e Clarissa Garotinho (PR-RJ), filha do aliado Anthony Garotinho.

Mudança no CNJ O presidente do Conselho Nacional de Justiça, ministro Ricardo Lewandowski, informou em reunião do CNJ que há um estudo para que o órgão passe a julgar apenas casos de interesse geral. A ideia é que processos que tratem de questões de interesse meramente individual não sejam mais analisados pelo Plenário do Conselho. “Um dos mais altos colegiados da República, sobretudo o mais alto colegiado do Poder Judiciário, não pode tratar de questões individuais”, disse. “Essas questões devem ser tratadas, a meu ver, pelos meios judiciais apropriados”, avaliou.

Animados na estreia Os deputados federais novatos mostraram empolgação na primeira sessão ordinária da qual participaram no Congresso. E eles chegaram cedo. Nos primeiros 15 minutos de trabalhos, dos dez deputados do Estado que já haviam marcado presença, sete acabaram de assumir suas funções. São eles: Brunny (PTC), Caio Narcio (PSDB), Dâmina Pereira (PMN), Delegado Edson Moreira (PTN), Marcelo Aro (PHS), Rodrigo Pacheco(PMDB) e Tenente Lúcio(PSB). Os outros três são velhos conhecidos na bancada mineira: Marcus Pestana(PSDB), Reginaldo Lopes (PT) e Lincoln Portela (PR).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave