Série mostra conexões musicais e climáticas

“A Linha Fria do Horizonte” mostra o encontro entre Brasil, Argentina e Uruguai

iG Minas Gerais | da redação |

Estreia. 

O músico Vitor Ramil fala como o clima gaúcho serve como influência e inspiração na sua obra
canal brasil
Estreia. O músico Vitor Ramil fala como o clima gaúcho serve como influência e inspiração na sua obra

Baseada no longa-metragem homônimo do diretor Luciano Coelho, lançado em 2011, a série “A Linha Fria do Horizonte” estreia nesta sexta, às 21h, no Canal Brasil. Coprodução do canal com o projeto Olho Vivo e com a Linha Fria Filmes, o desdobramento do documentário musical propõe ao telespectador uma viagem pela região do rio da Prata que se estende por três países: Brasil, Argentina e Uruguai.

Com cinco episódios, exibidos sempre às sextas-feiras, às 21h, a série mostra como a paisagem e o clima influenciam na música dos cancionistas desses locais. Entrevistas, interpretações musicais e trechos de shows compõem o programa.

No episódio de estreia, Vitor Ramil fala do orgulho que o povo gaúcho tem do frio e como isso afeta o comportamento e, consequentemente, a linguagem dos artistas do Sul do país. Para Ramil, as milongas refletem com clareza essa “estética do frio”.

“A Linha Fria do Horizonte” traz depoimentos de importantes nomes, como o cantor Jorge Drexler, que analisa o “templadismo” do Uruguai, seu país, enquanto o “subtropicalismo” argentino é citado pelo músico Kevin Johansen como uma homenagem melancólica ao tropicalismo. A série ainda apresenta entrevistas com os argentinos Pablo Grinjot, Martín Graziano e Tomi Lebrero; os uruguaios Juan Schellemberg, Ana Prado, Dany López e Fernando Cabrera; e os brasileiros Richard Serraria, Arthur de Faria e Régis Bardini, entre outros.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave