Copasa e prefeituras discutem carnaval na Várzea das Flores

Folia à beira da represa, conhecido espaçod entre Contagem e Betim,

iG Minas Gerais | Gustavo Lameira |

Copasa, as prefeituras de Contagem e Betim mais a Defesa Civil Estadual e outras autoridades estão reunidas na tarde desta quinta-feira (5) para definir sobre o carnaval na lagoa Várzea das Flores, região metropolitana de Belo Horizonte.

Assim como em outras partes de Minas, é possível que as medidas para economia de água impeçam a folia à beira da  lagoa, que costuma receber cerca de 10 mil pessoas durante o carnaval. A represa, responsável por parte do abastecimento da Grande BH, está apenas com 27,8% de sua capacidade.

O temor é que o volume de frequentadores habituais, somados aos foliões, aumente a poluição da água, nesse momento de crise hídrica.

Caça-Gotas

Nesta quinta (5), foi lançado pela Copasa o programa Caça-Gotas, em que 40 equipes especializadas terão a função de detectar desde vazamentos até rompimento de canos e adutoras, resolvendo essas questões em menor tempo possível. O tempo médio atual é de nove horas.

De acordo com a empresa, as perdas de água, em que estão incluídas também as ligações clandestinas, os chamados "gatos", chegam a 40% da água tratada. Somente em 2014, a Copasa identificou 1.044 ligações clandestinas, o que dá uma média de 20 irregularidades identificadas a cada semana.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave