Prisão perpétua para 230 ativistas anti Mubarak no Egito

O tribunal também condenou 39 menores de idade a 10 anos de prisão por confrontos entre manifestantes e as forças de segurança em 2011

iG Minas Gerais | AFP |

Ativistas anti Mubarak são condenados a prisão perpétua
KHALED DESOUKI / AFP
Ativistas anti Mubarak são condenados a prisão perpétua

Duzentos e trinta ativistas da revolução que expulsou do poder Hosni Mubarak em 2011 foram condenados nesta quarta-feira à prisão perpétua, incluindo um de seus líderes, Ahmed Duma.

O tribunal também condenou 39 menores de idade a 10 anos de prisão por confrontos entre manifestantes e as forças de segurança em 2011.

Desde que o exército destituiu o presidente islamita Mohamed Mursi em julho de 2013 e reprimiu as manifestações de seus partidários, várias penas de morte e condenações de prisão foram emitida em julgamentos que, em alguns casos, duram poucos minutos.

As penas pronunciadas nesta quarta-feira são as mais duras aplicadas a militantes de movimentos laicos e liberais que expulsaram Mubarak do poder.

Os simpatizantes da Irmandade Muçulmana, movimento de Mursi, são as principais vítimas da repressão nas ruas e nos tribunais.

Duma já havia sido condenado a três anos de prisão por ter organizado uma manifestação ilegal contra o novo governo do presidente Abdel Fatah al-Sissi, o ex-comandante das Forças Armadas que derrubou Mursi.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave