Projeto para economizar 20%

Produtores do Norte de Minas fazem convênio com UFMG para diminuir uso de água na irrigação

iG Minas Gerais | Joana Suarez |

Uso otimizado. Novo sistema de irrigação pode fazer um produtor de 15 hectares economizar um carro popular zero km por ano
LINCON ZARBIETTI/10.9.2014
Uso otimizado. Novo sistema de irrigação pode fazer um produtor de 15 hectares economizar um carro popular zero km por ano

Preocupados com a estiagem em Minas Gerais, produtores da região Norte do Estado fizeram um convênio com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) para implantar um projeto de economia de água para a irrigação da agricultura. A expectativa é reduzir em até 20% o consumo, através de monitoramento e otimização do sistema atual. A proposta piloto terá início na próxima semana em dez lotes de Jaíba e Gorotuba (perímetros irrigados na região). Com os resultados em mãos, a iniciativa deve ser ampliada e servirá de modelo para todo o país, numa tentativa de minimizar a grave crise que ainda esta por vir no meio do ano – período em que realmente não tem chuvas.

“Começamos a ter informações da crise em março do ano passado. Agora estamos assustados. É muito mais grave do que todos imaginavam e a água pode mesmo acabar. Antes não se tinha essa preocupação porque o recurso era abundante e barato, com rios cheios. Não é mais assim, sem água não se produz frutas, sementes e hortaliças”, destacou o diretor do Distrito de Irrigação da Etapa II do Projeto Jaíba, Eduardo Rebelo. O projeto piloto de redução de água na irrigação é a primeira medida mitigadora da crise. Pesquisadores da UFMG, em Montes Claros, vão monitorar os sistemas de irrigação e conscientizar os produtores sobre o manejo correto. “Hoje, sabemos que 70% da água doce é utilizada para a agricultura, mas grande parte é mal conduzida, aplica-se muita água desnecessariamente, em função de sistemas desajustados e falta de conhecimento de solo, planta e clima”, explicou o coordenador do projeto, Flávio Pimenta de Figueiredo. Os equipamentos de irrigação serão vistoriados para acabar com vazamentos e os pesquisadores vão mostrar qual a quantidade de água e o momento certo de irrigação. “Tem época do ano que a planta precisa receber 50 mm de água e está recebendo 80 mm. Ao longo desses anos, constatamos que a maioria das produções são molhadas, só jogam água e perdem de 5% a 20%. Na irrigação, você tem que usar a água de forma racional”, completou o professor. O objetivo do projeto é também economizar 20% de energia (no bombeamento da água). Figueiredo disse que um produtor de 15 hectares pode comprar um carro popular zero km por ano com o dinheiro que economizaria pagando menos por água e energia com o manejo de irrigação. Durante os próximos três meses de trabalho nas áreas pilotos, será possível obter dados suficientes para que o projeto de redução de água se consolide.

Reunião No último dia 26, representares de entidades ligadas ao agronegócio do Norte mineiro e entidades de ensino e pesquisa se reuniram na sede da Associação Central dos Fruticultores do Norte de Minas (Abanorte), em Janaúba. Além do projeto piloto, outra medida será revitalizar a bacia hidrográfica que abastece a região – rios São Francisco e Gorotuba. Em setembro passado, O TEMPO publicou uma série de reportagens sobre a situação da seca na região.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave