Jihadista era moeda de troca por presos

O Exército jordaniano prometeu vingar a morte do piloto, capturado após executar um ataque contra posições do EI, em uma operação da coalizão internacional liderada pelos EUA

iG Minas Gerais |

Beirute, Líbano. A jihadista iraquiana Sajida Al-Rishawi foi condenada à morte na Jordânia pelo envolvimento na prática de atentados em 2005, em Amã.  

Pouco após tomar conhecimento da execução do piloto, o ministério de Assuntos Religiosos da Jordânia pediu aos cidadãos do país que façam orações hoje pelo piloto morto. Uma fonte de segurança jordaniana assegurou que a jihadista seria executada ao amanhecer desta quarta-feira. Os radicais exigiam sua soltura para libertar dois jornalistas japoneses e o piloto jordaniano, mas decidiu executar os três mesmo diante da possibilidade real de que ela fosse solta.

O Exército jordaniano prometeu vingar a morte do piloto, capturado após executar um ataque contra posições do EI, em uma operação da coalizão internacional liderada pelos EUA.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave