A voz da Massa

iG Minas Gerais |

Saudações alvinegras! Na estreia de domingo passado, eu estava bastante curioso para saber como Dátolo e Luan iriam se sair tendo a função de armar o Galo. Pude ver que foram muito bem: criaram boas jogadas, deram velocidade à equipe, quando era preciso, e cadenciaram o jogo, quando o time precisava segurar o ritmo. Além das boas enfiadas de bola, como aquela de Luan para Pratto, em que Luan, com ótima visão de jogo, encontrou o matador sozinho na entrada da área e Pratto só precisou dominar e tirar do goleiro para marcar. Percebi que Dátolo guardou mais a posição, pelo lado esquerdo, enquanto o Doidim Luan se movimentou por todo o campo, como é característica sua. Gostei muito dessa dupla de armadores. Acho que a afinidade que eles têm fora do campo foi transferida para dentro, e eles vão cumprir muito bem sua tarefa ao longo da temporada.

A voz Celeste

Saudações celestes, nação azul. Como todos sabem, sou um torcedor de arquibancada, frequento o Mineirão desde que me conheço por gente, estive com o Cruzeiro nos seus poucos, mas piores momentos e também em suas grandes glórias. Meu pai me ensinou a nunca, em hipótese alguma vaiá-lo. Porém, uma situação me incomoda: a declaração do doutor Gilvan falando que, possivelmente, não contratará, pois só traria jogador caso fosse para ser titular. Como assim? Entendo que o dinheiro que temos no momento não deve ser jogado como papel picado, concordo que algumas contratações foram boas, porém, discordo do presidente. Precisamos, sim, de mais reforços. Temos jogadores de extrema qualidade, mas podemos trazer outros e suprir ausências, caso haja mais lesões ou suspensões. Da zaga, já temos três no DM, e Fabiano vem sendo improvisado.

Avacoelhada

O América precisa potencializar o poder de criação do meio de campo, a força ofensiva e o índice de acerto nos complementos dos lances, a fim de aumentar as possibilidades de vitória sobre a URT. O 4-2-3-1 deveria ser transformado em 4-4-2, com um dos meias extremistas mais próximos de Mancini, para dividir a responsabilidade da organização das jogadas. Xavier é opção de meia-esquerda criativo. O segundo volante também necessita ser mais participativo na transição. Leandro Guerreiro e Thiago Santos são mais marcadores do que criadores. Diego Henrique ou Luís Felipe poderiam ser utilizados. Felipe Amorim ou Bruno Sávio devem ser mais agudos, na função de segundo atacante, para formar dupla agressiva com Rodrigo Silva ou Rubens. Renatinho é alternativa de meia artilheiro. Encontro no Espetinho do Markim, sob nova direção: Janjão. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave